Desporto

“Miseráveis”. Médico da OMS revoltado com adeptos do Nápoles

Os adeptos do Nápoles sairam à rua para celebrar a conquista da Taça de Itália ignorando todas as regras sanitárias, no país que durante várias semanas foi o mais afetado pela pandemia de covid-19.

“Miseráveis. Dói ver estas imagens”, comentou Ranieri Guerra, médico italiano que é diretor-geral adjunto da Organização Mundial de Saúde (OMS), em declarações à RAI.

Com a Itália a ocupar o quarto lugar no ‘campeonato’ das vítimas mortais por covid-19 (atrás de EUA, Brasil e Reino Unido), o comportamento dos adeptos do Nápoles, numa altura em que aumentam as hipóteses de uma segunda vaga da doença, tem causado revolta.

“Não podem ser permitidas aglomerações de pessoas”, frisou o médico da OMS, lembrando os estudos que apontam um jogo da Liga dos Campeões (entre os italianos da Atalanta e os espanhóis do Valência), a 19 de fevereiro, como um dos principais focos de contágio da covid-19 na Europa.

O alerta, contudo, foi desvalorizado pelo presidente da Câmara de Nápoles.

“Ontem ganhou o contágio da felicidade”, respondeu Luigi di Magistris.

Na região da Campânia, cuja capital é Nápoles, morreram 431 pessoas devido à covid-19.

Os números oficiais mais recentes indicam que a pandemia já provocou 34 448 mortos em Itália.

0Shares

Em destaque

Subir