Motociclismo

Miguel Oliveira tem “de estar contente” com o 14º lugar em Austin

Pela segunda vez consecutiva Miguel Oliveira pontuou no Campeonato do Mundo de MotoGP, ao terminar o Grande Prémio das Américas da disciplina na 14ª posição.

O piloto português da Red Bull KTM Tech 3, que largou do 18º lugar da grelha de partida, teve um começo de prova complicado, mas aos poucos foi progredindo na classificação para terminar quatro posições acima daquela em que iniciou a corrida.

Foi mais um processo de aprendizagem de Miguel Oliveira sobre KTM RC16 # 88 num traçado onde nunca tinha competido aos comandos de uma máquina de MotoGP.

Ainda assim o começo da prova foi complicado para o piloto de Almada, que teve dificuldade em acompanhar os pilotos que largaram imediatamente à sua frente. Mas felizmente a situação mudou e pôde recuperar andamento e cortar a meta entre os 14 primeiros.

“Foi certamente uma corrida difícil, um começo de prova muito dececionante. Não esperava ter começado tão mal. Depois fui recuperando ritmo, guiando bem, e isso significou estar dentro das posições que esperava. Tenho de estar contente com este resultado, porque no final terminei onde queria, que era dentro dos pontos. Esta é, definitivamente uma pista muito difícil para correr e estar nos pontos aqui é muito bom”, avaliou Miguel Oliveira após a corrida.

O piloto da Charneca da Caparica pensa agora na próxima prova, que na sua opinião se disputa num cenário que lhe é mais familiar e favorável: “Agora vamos para Jerez, uma pista de que gosto muito. A moto parece ser competitiva lá, por isso mal posso esperar por essa prova. Tiramos aspetos positivos desta corrida”.

“Aprendemos mais sobre a moto e percebemos mais sobre ela. A minha posição na moto precisa de ser diferente, por isso estamos a trabalhar nessa direção, para me sentir mais confortável nela, por isso é tempo para olhar para as coisas boas que conseguimos este fim de semana”, conclui Miguel Oliveira.

Mais partilhadas da semana

Subir