Fórmula 1

Mercedes ‘lambe as feridas’ após desilusão de Spielberg

A Mercedes parecia capaz de mais um grande resultado e do domínio no Grande Prémio da Áustria de Fórmula 1, mas o que aconteceu foram dois abandonos.

Depois da superioridade demonstrada na qualificação, nada fazia prever que as duas ‘flechas prateadas’ socumbisse na corrida, isto apesar de Lewis Hamilton ter liderado a mesma até ao momento em que parou nas boxes.

Na verdade, a estratégia não foi a melhor por parte dos campeões do Mundo, que não fizeram o britânico parar quando a prova foi neutralizada devido à má colocação do Renault de Nico Hulkenberg.

Depois, Valtteri Bottas, que fora surpreendido na largada e conseguira recuperar até ao terceiro posto, teve de claudicar devido a problemas na caixa de velocidades do Mercedes # 77. Estavam decorridas apenas 15 voltas.

“Um azar que se transformou numa praga. O carro estava ótimo, mas depois de uma súbita perda de pressão hidráulica não pude fazer mais nada. Temo de nos questionar sobre a causa deste abandono, estou persuadido que regressaremos mais fortes. Hoje não era o nosso dia”, declarou mais tarde o finlandês.

Hamilton ficava como a única esperança da Mercedes sair da Áustria pelo menos um bom resultado, mas depois da descida para o terceiro posto após a paragem nas boxes as coisas voltaram a complicar-se. Primeiro não conseguiu resistir à investida de Sebastian Vettel e depois a pressão de combustível deu o ‘golpe de misericórdia’ nas aspirações do Campeão do Mundo.

Nenhum Mercedes à chegada de um Grande Prémio era um cenário que há muito não se via desde o Grande Prémio do Japão de 2016. “É sem dúvida o pior fim de semana há muito tempo. Toda a gente na equipa está a sofrer, mas é preciso retirar os aspetos positivos deste dia. O carro portou-se muito bem, eramos os mais rápidos e tivemos uma fiabilidade assinalável estes últimos anos. Tenho total confiança na equipa para regressar ainda mais forte”, afirmou um Lewis Hamilton de ‘cara fechada’.

Mais partilhadas da semana

Subir