Nas Notícias

Medicamento inovador para hepatite C pode chegar aos doentes ainda este ano

comprimidos v2Os hospitais podem estar a receber instruções para administrar um medicamento novo contra a hepatite C a alguns doentes prioritários. A imprensa de hoje revela que entre 100 a 150 pacientes poderão ser tratados com um fármaco inovador até ao final deste ano.

O Governo ainda não anunciou um acordo com a indústria farmacêutica, mas há hospitais que podem começar a receber, ainda hoje, instruções para administrar um medicamento inovador contra a hepatite C.

De acordo com a imprensa de hoje, entre 100 a 150 doentes considerados prioritários, por terem as funções do fígado muito descompensadas ou por sofrerem de cirrose hepática, poderão ter acesso ao novo fármaco antes de dezembro.

O medicamento apresenta uma elevada taxa de cura, que ronda os 90 por cento, mas o preço tem sido considerado “imoral” por Paulo Macedo, o ministro da Saúde.

De acordo com os números que foram avançados no passado pelo Ministério, o recurso a este medicamento inovador atinge os 48 mil euros mensais por doente, com o tratamento a prolongar-se por um mínimo de três meses.

A fatura é agravada porque o tratamento tem de ser estruturado em conjunto com outro fármaco, o que eleva o custo por doente para os 150 mil euros.

A tutela continua em negociações com os laboratórios farmacêuticos para baixar o preço deste e de outros fármacos inovadores, mas a orientação para o recurso ao tratamento contra a hepatite C já estará a chegar aos hospitais do Serviço Nacional de Saúde.

A mesma orientação, segundo a imprensa, define que só os doentes que tenham realizado sem sucesso a primeira e segunda linha de tratamentos poderão ser chamados para obter o novo fármaco.

A estes se juntam os pacientes com cirrose hepática cujo risco de vida tenha um prazo até um ano.

De acordo com uma fonte do Infarmed, citada sem identificação pelo Público, o objetivo passa por disponibilizar o medicamento inovador a mil doentes por ano.

As estatísticas mais recentes apontam para a existência de 13.015 pessoas com hepatite C em Portugal.

Em destaque

Subir