Nacional

Markl abandona Facebook e as reações à alegada violação de Ronaldo deram um contributo

Nuno Markl anuncia a saída do Facebook, “cansado” pela simples “permanência nesta rede”, que apelida de “um viveiro inútil de ódios e embirrações”. O humorista lamentou, ainda, “um ou outro post dizendo que uma mulher que se roce num homem e que depois diga que não, não tem direito a queixar-se”, numa alusão ao caso que envolve Ronaldo.

“Malta, estais a assistir aos meus últimos momentos no Facebook. Estou cansado. Não só esta rede já não tem qualquer utilidade para divulgar trabalho ou para debater assuntos interessantes, como é um viveiro inútil e desgastante de ódios e embirrações”, começa por escrever, num texto de despedida.

A “mera permanência nesta rede” incomoda Markl, assim como incomoda “uma ou outra mensagem de apoio ao Bolsonaro e por um ou outro post dizendo que uma mulher que se roce num homem e que depois diga que não, não tem direito a queixar-se”.

Esta é uma alusão ao caso que envolve Cristiano Ronaldo, acusado de violação. Surgiu uma corrente (controversa) contra Kathryn Mayorga, corrente essa que defende que a norte-americana se colocou em posição para ser violada, na profissão que exercia.

“Sim, chamem-me esquisito – mas acho que apologia da violação por pessoas que achava decentes é um bom pretexto para sair daqui. E não, isto já nem tem a ver com o caso Ronaldo-Mayorga. Adorava, de todo o coração, que ficasse provado que ele está inocente e que isto é uma cabala”, esclarece Markl.

“Não é aqui que mudamos o mundo. Isto não adianta nada. Sei do que falo. Cheguei a tentar, mas desisti. Percebi que estava só a juntar-me ao coro de embirrações e a perder tempo para coisas realmente importantes e decentes da vida”.

Nuno Markl refere que só pontualmente conseguiu “coisas boas no Facebook”. E elenca-as: “Foram realmente importantes no sentido mais prático e direto: encontrar animais perdidos, descobrir lares para cães abandonados, arranjar emprego e uma possibilidade de vida para um sem abrigo. Essas coisas aconteceram aqui, com a vossa preciosa ajuda, e tenho orgulho de ter feito parte delas”.

Este adeus é irreversível. Mas há novidades: em breve, os diretos da Cave do Markl serão um podcast semanal e vão merecer transmissão num canal de YouTube.

“Estou quase a fazer 10 anos de Facebook. Foi giro. Quando não foi mau. Obrigado a todos, encontramo-nos noutras paragens!”, conclui.

Recorde-se que em agosto de 2017 Markl também saiu desta rede social, fazendo uma pausa, mas por outros motivos.

Mais partilhadas da semana

Subir