Motores

Marcas não dão acordo à participação do novo Polo WRC privado

A futura participação dos Volkswagen Polo R WRC 2017 nas mãos de uma estrutura privada no campeonato do mundo de ralis (WRC) pode estar em causa.

É que uma reunião da Federação Internacional (FIA) com a Citroën, Hyundai, M-Sport e Toyota em Monte Carlo sobre o assunto foi inconclusiva.

Em ‘cima da mesa’ esteve a homologação dos carros desenvolvidos pela Volkswagen para esta época, antes da marca de Volfsburgo anunciar o seu abandono do WRC, na sequência do escândalo da falsificação das emissões de escape.

O responsável da FIA para o WRC, Jarmo Mahonen, afirma que e reunião ocorrida no Mónaco foi proveitosa, o ambiente era bom, mas foram colocadas preocupações que precisam de ser resolvidas para que o novo Polo WRC seja homologado. Mahonen diz que vão prosseguir as negociações com a Volkswagen.

Tudo indica que as preocupações das outras equipas se concentraram em pontos como os regulamentos dos testes, os preços de inscrição e os componentes.

“Percebo estas preocupações. A situação que tivemos no ano passado com a Citroën (correndo com carros privados via PH Sport) foi diferete. A Citroën tinha assumido o compromisso de regressar. Mas a Volkswagen não fez isso”, sublinha o responsável da FIA para o WRC.

“Os construtores têm restrições em termos de área como a caixa de velocidades e os regulamentos que dizem como têm de ser as peças de ligação, de modo a que toda a gente seja tratada justamente – e depois possamos tê-los todos com um carro novo”, refere também Jarmo Mahonen.

O sentimento entre as equipas foi misto. Tommi Makkinen (Toyota) é da opinião que o campeonato é mais forte se existirem mais equipas. “A questão é saber como podemos tornar isto mais interessante para os fãs em redor do mundo. Não temos nada contra a Volkswagen vir competir connosco, é uma questão de trazer mais valor e interesse”, defende o finlandês.

No entanto Michel Nandan (Hyundai) não está convencido, pois considera que “da forma como o regulamento está descrito não é possível” homologar o Polo R WRC 2017. “Para mim é um pouco estranho que esta grande decisão surja de repente porque eles precisam de homologar o carro”, considera o francês.

Para Yves Matton (Citroën) é necessário as equipas terem mais informação: “É sempre bom haver mais carros no campeonato, mas essa é uma perspetiva a curto prazo. Temos de nos assegurar de que traz algo ao campeonato e não o oposto. Não pode ser apenas homologar um carro para fazer uns ralis”.

1Shares

Mais partilhadas da semana

Subir