Nacional

Malato engravidou uma mulher que decidiu abortar

O apresentador José Carlos Malato fez a revelação numa entrevista à TV Guia, que faz capa na revista: engravidou uma mulher, há 20 anos, mas a gravidez não chegou ao fim.

José Carlos Malato concedeu uma entrevista à TV Guia, onde fala de diversos temas da sua intimidade, numa conversa que o próprio apelida de “longa e emotiva”.

O apresentador da RTP fala da história de amor com outro homem, de experiências com drogas, do facto de guardar as cinzas do pai, da sua infância. E faz uma revelação: “Sim, podia ter tido um filho”.

“Aos 20 anos, tive uma aventura de uma noite com uma amiga e ela ficou grávida. Ela tinha-se divorciado há oito meses e eu acompanhei muito aquele processo. Éramos amigos, e um dia envolvemo-nos… Engravidou”, revela.

Malato confessa que “ficou aflito” e que se aconselhou com os pais: “A minha mãe dizia-me para deixar vir, mas eu estava tão confuso com aquilo que, depois, ela [a amiga com quem o apresentador se envolveu] resolveu não ter”.

Na altura Malato era jovem. “Tinha 20 anos. Hoje, adorava que tivesse nascido. Tenho 54, e o meu filho teria 34”.

“Mas acontece que a minha irmã ficou viúva muito cedo, e o facto de me ter envolvido com os meus sobrinhos, como figura paterna, diluiu um pouco essa vontade”, confessa.

José Carlos Malato foi questionado sobre o eventual desejo de adotar uma criança. E afasta esse cenário. “Não”, afirma. “Tenho uma sobrinha ainda, com 12 anos, e isso já não se coloca. Também tenho dois filhos: os meus cães”, explica.

Entretanto, depois de ver a capa da revista, Malato usou as redes sociais para fazer alguns desmentidos – sendo que esta ‘quase paternidade’ não merece desmentido.

“Da longa, emotiva e exclusiva conversa que tive com o meu amigo e chefe de redacção da TV Guia, Paulo Abreu, de que apenas conheço a capa,  impõe-se que faça duas correções”, começa por escrever.

“Primeira: não anunciei casamento nenhum. O que disse foi: ‘Vou pedir o João em casamento’, o que é substancialmente diferente. Segunda: não ‘escondo’ as cinzas do meu pai em casa. GUARDO as cinzas do meu pai em casa, o que é substancialmente diferente. Não tenho nada a esconder. Acredito que a entrevista, dentro da revista, não me mereça mais nenhum reparo. A ver vamos, amanhã”, escreveu, na madrugada de hoje.

Mais partilhadas da semana

Subir