Economia

Mais de metade dos portugueses pondera fazer compras no Black Friday

Mais de metade (63 por cento) dos portugueses pondera este ano fazer compras no Black Friday, de acordo com um estudo da Google Portugal realizado em julho último, divulgou hoje a tecnológica.

Estes dados mostram que a data do Black Friday “está cada vez mais enraizada em Portugal e é hoje um dos grandes momentos de consumo dos portugueses”, refere a Google Portugal.

No ano passado, a semana do Black Friday em novembro “foi a semana do ano que registou o maior número de pesquisas no Google em Portugal, sendo a maioria realizada em dispositivos móveis, o que mostra que a busca por oportunidades, ofertas e promoções pode acontecer a qualquer momento e a partir de qualquer dispositivo”, adianta.

As pesquisas por Black Friday “crescem 34 por cento de ano para ano e ocorrem durante todo o mês de novembro”, acrescenta.

“Sendo o Black Friday um dos principais momentos de consumo em Portugal é normal que os consumidores estejam mais predispostos à informação das marcas e, por outro lado, que as marcas procurem múltiplas fórmulas e estratégias para chegar ao consumidor”, sublinha Joana Bastos, ‘industry manager’ (diretora para a área da indústria) na Google, citada no comunicado.

O estudo da Google foi realizado em julho e envolveu mais de 5.000 pessoas.

De acordo com o mesmo, o consumidor português é cada vez “mais omnicanal”, ou seja, tanto compra ‘online’ como na loja física.

Quase dois terços (64 por cento) dos consumidores ponderam comprar ‘online’, segundo o estudo da Google.

Mais de metade (56 por cento) das vendas no Black Friday correspondem a vestuário e calçado, seguida da tecnologia (49 por cento), perfumes e cosmética (24 por cento), eletrodomésticos (21 por cento) e brinquedos (16 por cento).

A maioria das compras (58 por cento) nesta altura destinam-se maioritariamente ao próprio consumidor, seguido dos presentes de Natal (29 por cento) e para família e amigos (27 por cento).

Após o Black Friday segue-se a Cyber Monday e depois o Natal.

“O consumo continua até ao Natal, o que significa que o Black Friday não é um momento isolado”, aponta Joana Bastos.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir