Nas Notícias

Maior parte dos fogos de 2018 com área ardida inferior a um hectare

A maior parte dos incêndios rurais que lavraram até 15 de setembro deste ano foram de reduzida dimensão, com uma área ardida inferior a um hectare, revelou hoje o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

“Em 2018 os incêndios com área ardida inferior a um hectare são os mais frequentes (87 por cento do total de incêndios rurais). No que se refere a incêndios de maior dimensão, assinala-se, até à data, a ocorrência de um incêndio com área ardida superior ou igual a 1.000 hectares”, refere o último relatório do ICNF.

O relatório provisório de incêndios rurais, referente ao período de 01 de janeiro e 15 de setembro, adianta que se trata do fogo que deflagrou no início de agosto em Monchique e consumiu 26.763 hectares.

O documento indica também que até 15 de setembro deflagraram 15 grandes incêndios, cuja área ardida total foi igual ou superior a 100 hectares, que resultaram em 30.925 hectares de área ardida, cerca de 81 por cento do total da área ardida.

Segundo o ICNF, 9.725 incêndios rurais lavraram entre 1 de janeiro e 15 de setembro de 2018, que resultaram em 38.223 hectares de área ardida, entre povoamentos florestais (20.626 hectares), matos (14.979 hectares) e agricultura (2.618 hectares).

O ICNF destaca que o ano de 2018 apresenta, até 15 de setembro, o segundo valor mais reduzido em número de ocorrências de fogo e o terceiro valor mais reduzido de área ardida desde 2008.

“Comparando os valores do ano de 2018 com o histórico dos 10 anos anteriores, assinala-se que se registaram menos 44 por cento de incêndios rurais e menos 63 por cento de área ardida relativamente à média anual do período”, lê-se no relatório.

O ICNF dá também conta que 57 por cento dos incêndios investigados este ano foram causados por queimadas e 18 por cento por incendiarismo.

Dos 9.725 incêndios rurais verificados, 6.292 (65 por cento) foram investigados e têm o processo de averiguação de causas concluído.

“Destes, a investigação permitiu a atribuição de uma causa para 4.276 incêndios (68 por cento dos incêndios investigados – responsáveis por 21 por cento da área total ardida)”, refere o ICNF.

O maior número de incêndios ocorreu nos distritos do Porto (1799), Braga (939) e Aveiro (858), mas foram maioritariamente de reduzida dimensão, não consumindo mais de um hectare.

Em relação à área ardida, o distrito mais afetado foi Faro com 26.883 hectares, cerca de 70 por cento da área total ardida até à data, seguido de Bragança com 1.645 hectares (4 por cento do total) e de Braga com 1.422 hectares (4 por cento do total)

O relatório refere ainda que o mês de agosto foi aquele que apresentou o maior número de incêndios rurais, com um total de 2.483 incêndios, o que corresponde a 26 por cento do número total registado no ano.

Também o mês de agosto, foi o que registou maior área ardida até 15 de setembro, com um total de 31.125 hectares, 81 por cento do total de área ardida registado no ano.

Mais partilhadas da semana

Subir