Mundo

Mãe presa por fingir cancro terminal do filho, forçado a 13 cirurgias desnecessárias

Kaylene Bowen, de 34 anos, foi presa por fingir que o filho tinha cancro para falsos peditórios. Christopher, de 8 anos, foi 323 vezes ao hospital e já fez 13 cirurgias sem qualquer necessidade. Alguns médicos chegaram a acreditar que estaria mesmo em fase terminal.

É o caso que está a chocar Dallas, no estado do Texas (EUA). Kaylene Bowen foi presa por estar há oito anos a fingir que o filho sofre de cancro, usando a criança para falsos peditórios e tendo mesmo obrigado o menino a fazer cirurgias desnecessárias.

Desde que nasceu, Christopher já foi 323 vezes ao hospital. A mãe explicava que o filho tinha nascido com uma alergia ao leite que lhe danificara os pulmões, ao ponto da criança precisar de um transplante.

Ao fim de tantos anos em “estado terminal”, o estado de saúde do menino começou a levantar dúvidas entre os médicos, que reportaram a situação aos serviços sociais do Texas.

Nestes oito anos, Christopher já foi sujeito a oito cirurgias devido aos problemas alimentares. Sabe-se, agora, que todas foram desnecessárias.

“Ela chegou ao ponto de dizer ao juiz que alguns médicos lhe tinham dito que o meu filho nunca iria andar e que iria precisar de ser alimentado por sonda”, revelou o pai da criança, Ryan Crawford, em declarações ao Daily Mail.

“Nem sei como isto ganhou tanta dimensão… Ela insistia que o menino estava a morrer, mas eu não me apercebia de nada de mal, ele parecia-me bem”, concluiu: “Nem acredito como teve de passar por tantas cirurgias para nada, podia ter morrido”.

1Shares

Mais partilhadas da semana

Subir