Motores

“Macau foi fundamental” para a carreira de Andy Priaulx

Andy Priaulx tem vivido uma temporada complicada no seu regresso à competição mundial de carros de turismo no WTCR com a Link & Co, mas considera que Macau foi “fundamental” para que a sua carreira tivesse sido o que foi.

O britânico competiu no antigo território português do Extremo Oriente pela primeira vez em 2005 e conseguiu três títulos no WTCC com a BMW, incluindo um improvável triunfo em 2007, como o próprio faz questão de recordar.

DPPI

“Estou ansioso por voltar”, diz Priaulx a propósito de Macau, onde foi sétimo da última vez que correu no Circuito da Guia em 2010. “Conseguir o meu primeiro título mundial ali foi muito especial porque foi um grande momento na minha carreira e um que, provavelmente, foi fundamental para estar onde estou hoje”, reconhece.

“Mas trata-se de uma pista difícil, e já se passaram 10 anos desde que a visitei, por isso tenho de ter cuidado, porque Macau requer muito empenho”, salienta o piloto da ilha de Guernsey.

O regresso de Andy Priaulx ao Circuito da Guia também pode ser uma grande oportunidade para obter um bom resultado no WTCR, de que precisa neste seu ano de regresso às competições de carros de turismo, depois de algumas temporadas a competir em GT com a BMW e a Ford.

“É verdade que têm existido maus momentos, e alguns bons”, admite o britânico, que sublinha o facto de não ter conseguido materializar em resultados aquilo que o seu Lynk & Co pode possibilitar: “Há muito potencial mas nada tem acontecido, o que é perturbador. Nada consegui ainda mas já tive bons desempenhos, com algumas boas qualificações e boas corridas. Espero continuar a evoluir e ter um final de temporada forte. Esse é o meu objetivo”.

“Tem sido um regresso muito difícil para mim, aprender a guiar um carro de tração à frente depois de 20 anos habituado ao contrário. Algumas pistas novas. Um campeonato muito equilibrado, a desenvolver um novo carro. Mas ganhei no WEC (‘Mundial’ de Resistência), por isso não quero perder o jeito”, reitera Priaux.

O piloto de Guernsey não ‘dorme’ sobre os títulos conseguidos no WTCC, pois para si o passado conta pouco quando se está numa competição tão equilibrada como é o WTCR: “Muitos irão dizer; ele ganhou três títulos e muitas corridas. Mas regressar e competir neste campeonato, tão competitivo como ele é e aprender a guiar um tração à frente…Já fico contente por tentar isto. As corridas são duras, e mesmo quando estamos a ganhar isso não acontece facilmente”.

“Temos apenas de fazer o nosso trabalho profissional e trabalhar bem com a equipa. No desporto motorizado se temos um ego grande temos muitas vezes dissabores. Não acontece isso comigo. Tenho apenas de trabalhar duramente e sentir-me orgulhoso por ter a carreira que tive, regressar e tentar”, acrescenta Andy Priaulx.

1Shares

Mais partilhadas da semana

Subir