Nacional

Luísa Castel-Branco foi “maldosa” para quem não pode ser mãe, acusa Raquel Prates

Raquel Prates arrasou Luísa Castel-Branco a propósito da discussão desta com Joana Latino. “A incapacidade de procriar não tem rigorosamente nada a ver com a capacidade de criar”, sustentou.

Sem citar nomes, a ‘it girl’ usou o blogue para criticar sem piedade Luísa Castel-Branco, que ‘insultou’ Joana Latino durante o Passadeira Vermelha da passada quarta-feira, a propósito da maternidade.

“Vejo, com bastante preocupação e alguma perplexidade, que há pessoas que por terem procriado e criado consideram as outras menos ‘habilitadas’ para darem a sua opinião sobre a maternidade e as opções que a ciência e o progresso colocaram à disposição de mulheres que têm problemas de procriação”.

“Pior, que o fazem de uma forma rude, maldosa até, e num misto de arautos morais e mentes muito ‘para a frentex’, escondidas atrás da palavra frontalidade”, continuou Raquel Prates, sempre sem citar o nome de Luísa Castel-Branco.

“Quero referir que frontalidade não é agressão, falta de educação, demonstração de intolerância ou apelo a qualquer tipo de agressividade, frontalidade é defender com educação e elevação as suas convicções (mesmo que erradas), não ultrapassando os limites em que se agride e violenta as convicções e princípios dos outros”.

A crítica de Raquel Prates tem ainda maior pertinência porque é público que não pode engravidar.

“Já assumi, publicamente, que dificilmente poderei procriar, é um processo pessoal que tem implicações e dor associados. (…) Mas não se enganem, não me torna menos apta para ser mulher, ou mãe”

“A incapacidade de procriar não tem rigorosamente nada a ver com a capacidade de criar”, insistiu Raquel Prates.

Mais partilhadas da semana

Subir