Nas Notícias

Londres e Riade expressam preocupação com ofensiva unilateral da Turquia

O chefe da diplomacia britânica, Dominic Raab, expressou hoje “sérias preocupações” após a “ofensiva unilateral” da Turquia contra as forças curdas no nordeste da Síria, ataque também condenado pela Arábia Saudita.

Esta operação “pode destabilizar a região, exacerbar a crise humanitária e minar o progresso feito na luta contra o grupo radical Estado Islâmico”, afirmou Dominic Raab em comunicado.

No mesmo comunicado, Londres assegura que o Reino Unido “não apoiará projetos de repatriamento [de refugiados sírios] enquanto não houver condições para um retorno voluntário e seguro”.

Também a Arábia Saudita condenou “a agressão do exército turco lançada no nordeste da Síria”, segundo o Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Para Riade, a ofensiva turca corre o risco de assumir “repercussões negativas na segurança e estabilidade da região”, além de “minar os esforços internacionais contra o grupo terroristas Estado Islâmico”, refere o ministério na rede social Twitter.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas agendou uma reunião de emergência para quinta-feira, após o Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, ter hoje anunciado o início da operação militar na Síria.

A decisão da Turquia ocorre depois de os Estados Unidos da América anunciarem a retirada das suas tropas da Síria, onde até agora haviam apoiado a milícia curda das Unidades de Proteção Popular (YPG), que dominam o nordeste sírio e desempenharam um papel crucial na derrota militar do Estado Islâmico.

A milícia curda é apoiada pelos países ocidentais, mas considerada terrorista por Ancara.

A intervenção turca no nordeste da Síria é vista com grande preocupação por países europeus como França, Itália ou Alemanha, que nos últimos dias alertaram para as consequências humanitárias que daí podem resultar.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir