Cultura

Lisboa: Magna Carta em exposição durante seis dias

magna cartaA constituição “Fundadora da Liberdade” está em exposição na Torre do Tombo, em Lisboa. Às 18h00 é inaugurada a mostra ‘Magna Carta – Significados’, que incluiu o famoso documento já com 800 anos. O decreto de João Sem-Terra também está patente ao público, até sábado.

A entrada é livre e o horário da mostra, que fica em exibição até sábado, é entre as 9h30 e as 19h30.

É de salientar que a Magna Carta exposta não é a original, mas uma cópia com um valor idêntico: data de 1217 e é guardada pela Catedral de Hereford (Inglaterra) como se fosse a ‘verdadeira’.

Há quatro exemplares datados de 1215 e outros tantos datados de 1217.

Todos os cuidados são poucos. O papiro, que inclui o selo do Rei João, está dentro de uma vitrina especial para controlo da humidade e da temperatura.

Escrita em 1217, a Magna Carta é considerada a constituição “Fundadora da Liberdade”, com o artigo 39.º a ser um dos textos mais citados e adaptados de sempre: “Nenhum homem livre será preso, detido, privado dos seus bens, considerado fora da lei, exilado ou de alguma forma vitimizado ou atacado, a não ser através de um julgamento legal pelos seus pares ou pela lei da terra”.

O documento chegou ontem a Lisboa, onde vai estar em exibição no âmbito do 800.º aniversário. A ‘digressão’ foi iniciada em setembro e passou por Nova Iorque, Luxemburgo, Pequim, Guangzhou e Xangai, Hong Kong, Singapura e Malta, terminando em Portugal.

A exposição ‘Magna Carta – Significados’ engloba ainda outros documentos com ‘significados’ para a evolução da democracia e da sociedade, como é o caso Decreto Real de 1215, conhecido como ‘o decreto João Sem Terra’.

É, segundo os especialistas, o único exemplar que ainda resta.

Portugal ‘contribuiu’ para a mostra com documentos importantes do Arquivo Nacional da Torre do Tombo, datados do reinado de D. Afonso II, quando nas ilhas britânicas era escrita a Magna Carta.

19Shares

Em destaque

Subir