Mundo

Kremlin diz que morte de líder separatista vai minar processo de paz com Ucrânia

A morte líder dos separatistas pró-russos da região de Donetsk, no leste da Ucrânia, Alexander Zakharchenko, constitui uma “provocação” que mina o processo de paz, afirmou hoje o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

Alexander Zakharchenko foi morto na sexta-feira numa explosão num café no centro da capital regional, tendo a agência dos rebeldes DAN referido que “o dirigente da República Popular de Donetsk morreu num ataque terrorista” e que as “circunstâncias estão a ser averiguadas”.

“É, sem dúvida, uma provocação”, afirmou o porta-voz do Kremlin, citado pelas agências de notícias russas.

“A morte de Zakharchenko vai certamente agravar as tensões na região” e minar o processo de paz lançado com os acordos de Minsk, patrocinados pela Alemanha e França, acrescentou.

Antigo mecânico e depois empresário, Zakharchenko foi um dos comandantes dos separatistas desde o início do conflito com o exército ucraniano, em abril de 2014.

Em novembro, meses depois de os territórios rebeldes do leste da Ucrânia proclamarem a independência, Zakharchenko foi eleito presidente da “República Popular de Donetsk” com 81 por cento dos votos.

Vários comandantes separatistas têm sido mortos nos últimos anos, em atos que os separatistas atribuem aos serviços especiais ucranianos.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir