Mundo

Keith Haring: Google doodle em memória do artista e ativista

keith_haringKeith Haring, artista gráfico e ativista norte-americano, é recordado hoje com um google doodle, no dia em que completaria o 54.º aniversário. Haring começou a destacar-se com as suas pinturas de giz no metro de Nova Iorque. Homossexual sem preconceito, tornou-se um ativista contra a sida. Morre aos 31 anos de idade, vítima da doença que quis erradicar nas crianças, com a Keith Haring Foundation.

Keith Haring, hoje recordado com um doodle, mistura talento com perseverança, excessos com coragem. Keith vivia além do seu tempo, na arte e no pensamento, e atingiu notoriedade pelo talento e por essa característica.

Morreu jovem, a 16 de fevereiro de 1990, por culpa de uma doença associada a preconceitos. Keith Haring lutou conta ambos – a doença e os preconceitos – recorrendo à notoriedade que o seu talento lhe concedeu.

Defensor de ideias vanguardistas, Keith Haring deixou vincada, no entanto, a arte do seu tempo: a cultura nova-iorquina dos anos 1980. Acabou por morrer vítimas dos excessos de uma vida sempre no fio da navalha.

Haring escreveu um dia: “Na minha vida, fiz muitas coisas, ganhei muito dinheiro e diverti-me muito. Mas também vivi em Nova Iorque nos anos do auge da promiscuidade sexual. Se eu não contrair sida, ninguém mais terá a doença”. Keith contraiu sida, doença que lhe provocou complicações de saúde responsáveis pela sua morte. no entanto, antes desta fatalidade, há muito por contar, memórias que um simples doodle faz despontar.

A obra

Em Reading, a 4 de maio de 1958, Keith Haring nasce em Reading, no estado de Pensilvânia. O prazer pelas artes plásticas veio consigo ao mundo. Entre 1976 e 1978, Haring estuda design gráfico numa escola de arte, localizada em Pittsburgh. Mas não termina o curso e decide viver em Nova Iorque.

As mãos de Keith transportaram essa paixão pelas artes para as para as paredes do metropolitano nova-iorquino, onde manifestou as suas influências: os graffitis. O talento deu corpo à alma da paixão de Keith Haring. Deu seguimento à sua formação na School of Visual Arts, onde se inscreve.

Keith Haring começa a expor a partir de 1980, no Club 57, um ponto de encontro da elite vanguardista. Ao longo desta década, Haring pintou em diversos locais do mundo (entre os quais, o desmantelado Muro de Berlim), participando, igualmente, em inúmeras bienais, em cidades de todos os continentes.

Entre os seus trabalhos mundialmente célebres está o corpo de Grace Jones, pintado por Keith, para o videoclip da música ‘I’m Not Perfect’. Inúmeras outras obras transportaram o nome de Keith Haring para a ribalta.

A luta

A voz de Keith Haring ganhou força com a sua arte e permitiu que os seus ideais beliscassem o conservadorismo social. Keith era homossexual assumido e não teve receio de transportar para as suas criações algum erotismo gay.

Assumiu a sua homossexualidade numa entrevista à revista Rolling Stone e cria a Keith Haring Foundation, no auge da sida, que matava sem piedade. A defesa das crianças era o maior objetivo desta fundação de Haring. É considerado um dos maiores ativistas da luta contra a sida.

A morte

Um ano antes de morrer, já enfraquecido pela doença, Keith Haring pinta, em Itália – junto a uma igreja de Sant’Antonio Abate, em Pisa – aquela que viria a ser a sua derradeira obra: ‘Tuttomondo’, que defendia a paz no mundo.

Keith Haring morreria com 31 anos de idade, em Nova Iorque, a 16 de fevereiro de 1990, em virtude de diversas complicações provocadas pela sida. Hoje, é recordado com um google doodle.

Em destaque

Subir