País

Em junho deixa de baixar o volume dos anúncios televisivos

volume dos anuncios

Já reparou que os anúncios televisivos estão sempre com um volume superior aos dos programas? A “normalização da intensidade sonora”, imposta pela diretiva da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), vai terminar com isso a partir de junho.

É já um hábito de muitos portugueses: assim que os anúncios começam, baixa-se o volume da televisão. Parece que fazem de propósito para que o som esteja mais alto.

Não parece, é mesmo assim. Mas vai deixar de ser a partir de junho, por directiva da ERC.

O regulador exige “a normalização da intensidade sonora”, ou seja, um equilíbrio entre os sons dos programas e o da publicidade.

Em comunicado, a ERC explicou que a diretiva pretende assegurar que “os níveis de sensação auditiva confortáveis ao telespectador são respeitados”.

O nível de sensação de intensidade auditiva dos intervalos publicitários tem, a partir de 1 de junho (a diretiva foi aprovada a 23 de fevereiro), de estar fixado em -23LUFS, a sigla inglesa para Loudness Unit Full Scale, o equivalente britânico a um decibel.

No mesmo comunicado, o regulador manifestou a preocupação com o “incómodo gerado pela inconsistência dos níveis sonoros junto dos espetadores”, pelo que tudo o que passar na televisão tem de ter o som normalizado.

A ERC lembrou ainda que existem softwares e equipamentos, “amplamente disponíveis no mercado”, que permitem “quer a medição dos valores de nível de sensação de intensidade auditiva, quer o seu controlo eficaz”.

Há uma exceção prevista para as emissões em direto, mas o desvio não pode ser superior a um LU.

Mais partilhadas da semana

Subir