América do Sul

Juiz adia depoimento de Lula da Silva para evitar exploração eleitoral de interrogatórios

O juiz Sérgio Moro, responsável por julgar a operação Lava Jato em primeira instância, adiou hoje um depoimento de Lula da Silva num processo em que o ex-presidente do Brasil é acusado de beneficiar de obras como suborno.

“A fim de evitar a exploração eleitoral dos interrogatórios, seja qual for a perspectiva, reputo oportuno redesignar as audiências”, escreveu Moro referindo-se a um depoimento de Lula da Silva que estava marcado para 11 de setembro.

O depoimento do ex-presidente foi remarcado para o dia 14 de novembro.

Neste processo, o antigo chefe de Estado brasileiro é acusado de ser proprietário oculto de uma casa de campo na cidade de Atibaia, onde supostamente as construtoras Odebrecht e OAS teriam gasto cerca de um milhão de reais (cerca de 230 mil euros) em obras, em troca de benefícios em seis contratos destas empresas com a estatal petrolífera Petrobras.

Lula da Silva, de 72 anos, está preso desde o dia 07 de abril, após ter sido condenado em duas instâncias da justiça brasileira num outro processo que se refere à propriedade de um apartamento de luxo na cidade do Guarujá, que o antigo presidente supostamente recebeu como suborno da OAS.

Mais partilhadas da semana

Subir