Mundo

Jovem autista condenado à prisão por empurrar criança de 6 anos de um 10.º andar

Jonty Bravery, de 18 anos e portador de autismo, foi condenado pelo Tribunal Criminal de Old Bailey, em Londres (Inglaterra), a uma pena mínima de 15 anos de prisão por empurrar uma criança de 6 anos de um 10.º andar, em agosto de 2019.

O jovem, que então tinha 17 anos, empurrou uma criança, de nacionalidade francesa, de uma varanda do museu Tate Modern, em Londres.

A vítima, que caiu num telhado do 5.º andar, cerca de 30 metros abaixo, sofreu uma hemorragia cerebral e fraturas na coluna, braços e pernas, tendo permanecido nos cuidados intensivos durante meses.

Em dezembro, numa das sessões do julgamento, Jonty Bravery declarou-se culpado.

Considerado pela juíza Maura McGowan “um grave perigo para o público”, o jovem, portador de autismo e sofrendo alterações de personalidade, vai cumprir uma pena prisão de pelo menos 15 anos, sendo no que limite poderá ficar em prisão perpétua.

“Vai passar a maior parte, senão toda, a sua vida detido. Poderá nunca ser libertado”, avisou a juíza.

Devido ao comportamento violento, Jonty Bravery estava internado numa instituição especializada. Porém, os sinais de melhorias nos meses anteriores garantiram-lhe uma autorização para sair sozinho durante quatro horas.

Nesse dia, 4 de agosto de 2019, tentou comprar bilhete para aceder ao arranha-céus mais alto do Reino Unido (o Shard). Não tendo dinheiro suficiente, perguntou por prédios altos nas proximidades.

Foi então que se dirigiu ao museu Tate Modern, que tem uma plataforma no 10.º andar aberta ao público.

Aí, empurrou uma criança que se tinha afastado momentaneamente dos pais, facto que motivou esta condenação.

0Shares

Em destaque

Subir