Internacional

Joias roubadas a Kim Kardashian em França foram derretidas e vendidas

O homem suspeito de ser o líder do grupo de assaltantes que roubou Kim Kardashian, em França, diz que as suas joias foram derretidas e posteriormente vendidas.

Aomar Ait Khedache, o homem de 60 anos de idade e alegado cabecilha do grupo, disse num comunicado ao jornal francês Le Monde que, com exceção do anel de noivado em diamantes de 20 quilates, tudo o resto terá sido derretido.

“Todos nós tomámos a decisão de derretê-las. Se for fundida, a joia nunca será reconhecida”.

O assaltante explicou ainda qual o meio que o grupo decidiu usar, uma vez derretidas as joias. Segundo o mesmo, dois membros do grupo rumaram à Bélgica para trocar o ouro derretido por dinheiro.

“Uma vez derretidas as joias, dois de nós encarregaram-se de vender o ouro. Foram para a Bélgica com barras de 800 gramas e voltaram de lá com o dinheiro. No total deu 25 mil ou 28 mil euros a cada”.

Aomar Ait Khedache avançou ainda que o roubo foi planeado para acontecer numa data anterior e que era “um golpe irresistível”, depois de Kardashian ter publicado as fotos das joias nas redes sociais.

1Shares

Mais partilhadas da semana

Subir