Motores

João Barbosa orgulhoso pela equipa e sem saber o que o futuro lhe reserva

Baixou o pano sobre o Campeonato IMSA Sportscar, que podia ter sido de glória para João Barbosa e Filipe Albuquerque, pois lideravam a 20 minutos do final do Petit Le Mans quando um disco de travão do Cadillac DPi # 5 explodiu.

Perdeu-se assim a possibilidade de uma ‘despedida’ em glória para os dois pilotos portugueses, sobretudo o portuense que estava na Action Express Racing há quase uma década.

A última situação de bandeira amarela, devido a um despiste do Ferrari 488 de Toni Vilander, mudou tudo quando Albuquerque parecia caminhar para o triunfo merecido ao cabo de 10 horas de corrida. Mas infelizmente a mecânica do Cadillac negro não quis ajudar e a prova dos dois portugueses ficou arruínada, fazendo-os cortar a meta apenas na sétima posição.

“O carro estava fantástico e tudo a correr conforme planeado. Foi a minha última vez ao volante do Mustang Sampling Cadillac #5 e parecia que íamos fechar um ciclo com uma vitória. Infelizmente não aconteceu, mas ainda assim estou muito orgulhoso de toda a equipa que fez um trabalho notável e sobretudo de ter feito parte deste projecto. Não sei o que o futuro nos reserva, mas espero encontrar um capítulo especial”, referiu João Barbosa no final.

Do piloto do Porto fica um currículo impressionante, com três títulos de sport-protótipos nos Estados Unidos, nove vitórias no campeonato IMSA, três delas nas míticas 24 Horas de Daytona, duas nas 12 Horas de Sebring e quarto nas 6 Horas de Watkins Glen

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir