Nas Notícias

Jeniffer Viturino: Namorado tinha outras mulheres e modelo “não se importava”

Irmão da modelo que caiu do 15.º andar de um edifício em Lisboa revela que o namorado de Jeniffer Viturino “tinha fama de ser agressivo com as namoradas”, mantinha relação com “outras mulheres”, mas a modelo “não se importava”. Corpo tem escoriações que podem denunciar outro tipo de violência que não foi provocada pela brutal queda.

Segundo familiares e amigos, Jeniffer Viturino “não cometeu suicídio” e haverá outras razões para a queda do edifício no Parque das Nações, que provocou a morte da modelo brasileira de 17 anos.

O irmão da jovem conta que o namorado “estava no apartamento” quando se deu a queda. Além disso, era normal “ter várias mulheres”, algo que nunca “preocupou” Jeniffer, segundo garante Johnatan Viturino.

Johnatan revela ainda que – apesar de ser “gentil” com a família – o namorado de Jeniffer “tinha fama de ser agressivo com as suas namoradas”. O empresário de 31 anos, Miguel Alves da Silva, herdou uma fortuna, é empresário e dono de todo o 15.º piso da Torre de São Rafael, em Lisboa.

A teoria de suicídio é desmentida por Johnatan: “Estive com ela no domingo passado, a conversar e tudo estava bem. Na véspera da morte, ela revelou-se feliz e jantou com o namorado. O suicídio não nos entra na cabeça. Segundo sabemos, há hematomas no corpo”.

As autoridades vão libertar o corpo, já com a autópsia realizada, investigação que pode fornecer provas sobre a causa da queda que levou à morte. “Não vimos o corpo, que só será só vai ser libertado após a autópsia. Mas a polícia disse à minha mãe que há escoriações e hematomas. O suicídio não nos passa pela cabeça”, diz o irmão.

O Correio da Manhã avança com notícias que confirmam as palavras de Johnatan: existia uma segunda mulher no apartamento, quando Jeniffer caiu. Por outro lado, ainda segundo este jornal, o depoimento de Miguel Alves da Silva “está repleto de contradições”, no relato feito sobre a noite do crime.

Em destaque

Subir