Insólito

Japoneses criam rabo robótico que… não serve para nada

rabo_roboticoPela primeira vez, o mundo tem um rabo robótico, criado por cientistas japoneses, na Universidade de Comunicações Eletrónicas de Tóquio. As nádegas respondem a diversos estímulos, sendo que o projeto apresenta um defeito: não têm qualquer aplicação prática. Takahashi, que um dia criara um método de beijar remotamente e um sistema de auto-abraços, assina mais uma invenção tão curiosa como inútil.

Investigadores do Japão, liderados por Nobuhiro Takahashi, desenvolveram um projeto ousado, que consiste na criação de um rabo robótico, que reage de modo particular a cada estímulo.

Esta máquina permite imitar todos os movimentos de um rabo humano. No entanto, aquele que é considerado o primeiro rabo robótico do mundo só tem um problema: não apresenta qualquer vantagem para o ser humano, já que não serve para nada.

Segundo o analista Devin Coldewey, “os autores deste rabo robótico não tiveram em consideração quais as finalidades do modelo”. Não se trata de um acessório médico, nem sequer tem qualquer objetivo terapêutico. “É apenas um rabo que se contorce”, explica.

O rabo robot apresenta dois músculos que contraem e distendem, através de um sistema pneumático. Os músculos estão cobertos de pele. Quanto a grandes avanços tecnológicos, nada de novo…

Este trabalho pertence a Nobuhiro Takahashi, um investigador que já rubricou outras invenções inúteis: um sistema de beijar por via remota e outro que permite um auto-abraço.

Mais partilhadas da semana

Subir