Desporto

“Isto não é o FC Porto”, lamenta Rodolfo Reis

Renovações de Herrera e Brahimi estão em risco e o antigo capitão portista não entende. “Isto não é o FC Porto, diz Rodolfo Reis, que aponta o dedo a Pinto da Costa: “O FC Porto de outros tempos já tinha tudo resolvido”.

Críticas fortes a Pinto da Costa, durante o programa Play-Off, da SIC Notícias, neste domingo. Em causa, as prorrogações de contrato de dois jogadores titulares da formação de Sérgio Conceição.

Rodolfo Reis assume que, antes da chegada de Sérgio Conceição, via Herrera com outros olhos e ficava com “dúvidas” sobre o mérito da titularidade do mexicano.

“Se nessa altura o FC Porto renovasse contrato, eu diria que algo está mal”, afirma.

Porém, “quando vem o Sérgio Conceição, Herrera faz um campeonato extraordinário”, passando a ser o “cérebro e o pulmão da equipa”.

“Aí, deveria ter renovado”, enquadra.

O facto de o dossier do mexicano ter chegado a este ponto suscita uma crítica à SAD:

“Não compreendo, não entendo… E o Brahimi também. E já foi o Marcano. Não entendo isto. É algo que nunca na vida se passou no clube”.

“Isto não é o FC Porto… Noutros tempos, já teria tudo resolvido. Ou já tinha vendido o jogador, que teve propostas no início da época. Isto seria o FC Porto de antigamente. E neste momento não é”.

O médio, recorde-se, exigiu seis milhões para renovar contrato, segundo revelou Pinto da Costa.

O mexicano poderá assinar por novo clube, a partir de janeiro, caso as partes não cheguem a acordo, saindo no final da época com o passe na mão, sem que o clube da Invicta faça qualquer encaixe.

Também Brahimi está na mesma situação, em termos contratuais, mas não são conhecidos números sobre exigências do argelino.

Sabe-se apenas que o campeão nacional terá de pagar 6,5 milhões de euros à Doyen, quer a prorrogação do vínculo avance ou não.

Mais partilhadas da semana

Subir