Justiça

Israel ignora Portugal e ‘deixa andar’ o recluso que fugiu de Caxias

A justiça de Portugal sabe onde está Joaquim Bitton Matos, o recluso que se evadiu de Caxias a 19 de fevereiro, mas nada pode fazer para o recapturar. Israel estará a recusar cumprir o mandado de captura internacional porque ‘Jeki Matos’ tem dupla nacionalidade: é luso-israelita.

A informação é avançada pelo Expresso, assinando os 100 dias decorridos desde que Joaquim Bitton Matos fugiu de Caxias.

Como Israel não tem acordo de extradição com Portugal, tem evitado o cumprimento do mandado de captura internacional por não ter a obrigatoriedade de o extraditar.

Nestes casos, cabe à justiça do país onde o alvo do mandado é detido realizar o julgamento, sendo obrigação do país que pede a extradição enviar toda a informação necessária à realização desse julgamento.

Só que Joaquim Bitton Matos tem dupla nacionalidade, pelo que Israel estaria a julgar um cidadão nacional a pedido de um outro país.

Sabe-se até que o evadido de Caxias voou do aeroporto de Barajas, onde apresentou um passaporte com o nome em hebraico para iludir as autoridades espanholas, e que se encontra escondido em casa da mãe.

“Israel não está a colaborar e nem sequer procedeu à sua detenção”, revela uma fonte anónima da justiça portuguesa, em declarações ao Expresso, que cita uma outra fonte: “Colocam entraves e usam argumentos formalistas com um único fim, não dar seguimento ao cumprimento do mandado”.

Mais partilhadas da semana

Subir