Mundo

Investigado polícia que agrediu aluna dentro de uma sala de aula (com vídeo)

Um vídeo mostra um xerife da Carolina do Sul (EUA) numa ação de extrema violência, nesta segunda-feira, numa escola secundária. O agente foi chamado à escola secundária de Spring Valley, porque a rapariga estaria a mastigar uma pastilha elástica. O FBI está a investigar o caso.

As imagens de violência excessiva de um agente Ben Fields, do departamento de Richland, correram as redes sociais, onde o episódio foi partilhado e comentado.

Uma vez mais, levantou-se a questão de uso desproporcional de força, relativamente a minorias, assunto que permanece na atualidade dos Estados Unidos.

O vídeo – gravado por outro aluno – mostra a atuação de Ben Fields numa sala de aula da Escola Secundária de Spring Valley, na Carolina do Sul.

A adolescente surge sentada na sua secretária e é literalmente arrancada do lugar, depois de uma queda violenta.

Depois de a puxar pelo pescoço, o polícia ordena à aluna que se ponha de costas e que junte as mãos, para ser detida.

O vídeo mostra a atuação excessiva do agente, perante uma menor dentro da sala de aula. Termina sem mostrar o que sucedeu, ou o que antecedeu a detenção

De acordo com alguns órgãos de comunicação dos EUA, a rapariga terá desrespeitado a ordem para se levantar. Um aluno escreveu no Twitter que a aluna “não desrespeitou o agente”.

Essa mesma testemunha relata que a chamada do agente se deveu ao facto de a rapariga “estar a mascar uma pastilha elástica”.

O professor comentou o caso e alegou que a jovem “deveria ter cooperado com o agente”, nesta detenção.

Mas há um pormenor intrigante que estes 15 segundos de vídeo não mostram. O jornalista Shaun King, do New York Daily News, escreve que aquele mesmo agente tem aterrorizado a vida de alguns alunos daquele estabelecimento de ensino.

O caso está a ser investigado pelo FBI, sendo que este vídeo poderá servir de prova do incidente.

Segundo esclarece o departamento escolar, num comunicado emitido por uma emissora local, “a prioridade dos distrito é a segurança dos alunos”. E é visível que a segurança desta aluna não foi salvaguardada.

“Não toleramos quaisquer atos que ponham em risco a segurança dos estudantes”, refere o mesmo departamento escolar.

Entretanto, o assunto ganhou grande relevância nas redes sociais, sobretudo no Twitter, com a hashtag #AssaultAtSpringValleyHigh em destaque, nos EUA.

Por seu turno, o xerife de Richland, Curtis Wilson, relata um sentimento de “perturbação”, depois de vistas as imagens.

Solicitam que não se façam julgamentos prematuros, mas esclarece que o agente em causa foi afastado do terreno e cumpre apenas funções administrativas.

De todo o modo, a Associação dos Pais Negros e a União das Liberdades Civis Americanas em Carolina do Sul não aguardaram pelos resultados desses inquéritos e manifestaram repúdio pelo que consideram ser “um ataque racista e discriminatório”.

As imagens podem perturbar as pessoas mais sensíveis.

Em destaque

Subir