Mundo

Insultos, palavrões e ameaças em reunião do Governo de Jair Bolsonaro

Um vídeo apresentado a tribunal revela ameaças, insultos e pressões numa ‘quente’ reunião do Governo de Jair Bolsonaro a 22 de abril, numa discussão que incluiu palavrões.

De acordo com o portal G1, o vídeo foi solicitado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no âmbito da investigação ao Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, pela alegada interferência na gestão da polícia federal, denunciada pelo ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro.

Foi nessa reunião do executivo, a 22 de abril, que Bolsonaro ameaçou substituir o ministro da Justiça, uma vez que Moro se opunha às alterações na polícia federal que o chefe de Estado terá tentado impor devido às alegadas investigações a familiares de Jair Bolsonaro.

“Troco todo o mundo da segurança, troco o chefe, troco o ministro”, terá dito o Presidente brasileiro, de acordo com os relatos que vão sendo divulgados pela imprensa.

Bolsonaro terá justificado a suposta interferência na polícia federal diretamente a Sérgio Moro: “Não vou esperar f**** alguém da minha família”.

No mesmo vídeo, os juízes do STF terão ouvido o ministro da Educação, Abraham Weintraub, chamar-lhes “filhos da p***”, com Weintraub a desejar que os magistrados estivessem presos.

Já a ministra dos direitos humanos, Damares Alves, terá defendido a prisão de governadores e prefeitos de zonas em que sejam feitas detenções de pessoas por não cumprirem as recomendações de quarentena.

Recorde-se que o Governo tem defendido uma política de não confinamento face à pandemia, contrariada por muitas regiões que determinaram medidas para travar o contágio da covid-19.

Nessa reunião de 22 de abril, que durou cerca de quatro horas, o Governo de Jair Bolsonaro terá ainda debatido uma troca de cargos na estrutura federal pelo apoio ao executivo numa eventual votação de ‘impeachment’ (destituição do Presidente).

Na investigação do STF, a Procuradoria-Geral acusa Jair Bolsonaro de crimes de corrupção passiva privilegiada e obstrução da justiça, entre outros.

Mais partilhadas da semana

Subir