Economia

INE informa que economia nacional cresceu 1,4 por cento em 2016

O Instituto Nacional de Estatística (INE) revelou que o Produto Interno Bruto (PIB) aumentou 1,4 por cento em 2016, menos duas décimas do que em 2015, após uma subida de 1,9 por cento no quarto trimestre, resultado de uma melhoria da procura interna.

O valor que se registou no crescimento da economia portuguesa no ano passado ultrapassou as estimativas da Comissão Europeia e dos economistas que foram contactados pela agência Lusa, que esperava uma subida de 1,3 por cento do PIB.

Segundo a estimativa do INE, considerando o conjunto de 2016, “o contributo da procura interna para a variação do PIB diminuiu, refletindo a redução do investimento e, em menor grau, a desaceleração do consumo privado”. Já a procura externa líquida apresentou um contributo “significativamente menos negativo que em 2015”, afirmou o INE.

Nos últimos três meses de 2016, foi registado, em termos homólogos, um aumento do PIB de 1,9 por cento em volume (face aos 1,6 por cento registados no trimestre anterior).

“Esta aceleração do PIB resultou do aumento do contributo da procura interna, observando-se uma recuperação do investimento e um crescimento mais intensa do consumo privado”, explicou o INE.

Comparado ao trimestre anterior, o contributo da procura externa líquida foi negativa, “refletindo a aceleração mais acentuada das importações de bens e serviços em volume que a das exportações de bens e serviços”, acrescenta.

O PIB aumentou 0,6 por cento em termos reais (variação em cadeia de 0,8 por cento no trimestre anterior), comparativamente com o terceiro trimestre, segundo o INE.

“O contributo da procura interna para a variação em cadeia do PIB passou de negativo no terceiro trimestre para positivo, traduzindo, principalmente, a evolução do investimento”, justifica o INE.

Num sentido oposto, a procura externa líquida passou a registar um contributo negativo, observando-se um forte aumento das importações totais.

A Comissão Europeia, na segunda-feira, reviu em alta a estimativa de crescimento do PIB de Portugal, prevendo que tenha subido 1,3 por cento, valor semelhante à média de previsões de analistas que foram contactados pela agência Lusa, acima da previsão de 1,2 por cento que foi estimada pelo Governo no Orçamento do Estado para 2017.

A melhoria da previsão foi, segundo a Comissão Europeia, devido a um “forte desempenho na segunda metade do ano, particularmente no turismo”, e no consumo privado.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir