Local

Incêndios: Rajadas de vento de 100 quilómetros/hora preocupam autoridades

Rajadas de vento que atingem a velocidade de 100 quilómetros por hora preocupam as autoridades que combatem as chamas do grande incêndio que se aproxima da Malveira da Serra.

O oficial de operações da Proteção Civil, Paulo Santos, admitiu à agência Lusa que possam ter existido algumas casas afetadas pelo fogo mas disse não dispor ainda de dados concretos.

Questionado sobre se haveria algum risco para a povoação de Malveira da Serra, Paulo Santos disse que “neste momento não”.

O fogo queima mato nos concelhos de Sintra e Cascais está a avançar para sul tendo obrigado já à evacuação das localidades de Almoínhas, Figueira do Guincho, Biscaia e ainda o Parque de Campismo da Areia.

Os residentes dessas casas estão a ser transportados para a Malveira da Serra, disse à Lusa o oficial de operações da Proteção Civil, Paulo Santos, em declarações à Lusa.

“O incêndio avança para sul influenciado pelo vento, fortíssimo, tendo duas frentes, uma em direção ao Guincho e outra virada para a Malveira da Serra”, acrescentou.

O vento que é muito forte na zona “está a condicionar trabalho dos mais de 500 homens que combatem o fogo no terreno”, explicou Paulo Santos.

As autoridades tiveram de evacuar o parque de Campismo da Areia. As pessoas deste parque foram transportadas para o Pavilhão Dramático de Cascais.

A prioridade dos bombeiros é proteger as pessoas e bens havendo algumas casas dispersas.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, está a acompanhar a evolução do incêndio que deflagrou na zona da Peninha, numa zona de mato na serra.

O ministro da Administração Interna também está a acompanhar o fogo que deflagrou no sábado à noite na zona da Peninha, na serra de Sintra, e que evoluiu para Cascais, onde foram retirados de casa algumas pessoas de habitações isoladas.

Segundo disse à Lusa fonte oficial do Ministério da Administração Interna, Eduardo Cabrita “está em contacto permanente com o comandante nacional” da Autoridade Nacional de Proteção Civil e “falou com o presidente da Câmara de Sintra”.

Uma fonte oficial da Câmara de Cascais confirmou à Lusa que foram evacuadas algumas habitações isoladas, na zona da Figueira do Guincho, mas apenas como medida de precaução.

Segundo fonte da Polícia Municipal de Sintra, foram retiradas para a zona da Malveira da Serra “cerca de 40 pessoas” de algumas habitações de localidades do concelho de Cascais, nomeadamente de Figueira do Guincho, Almoínhas Velhas e Biscaia.

O incêndio deflagrou cerca das 22:50 de sábado na serra de Sintra, numa zona de mato, e mobilizava cerca da 03:30 584 bombeiros e 171 meios terrestres, segundo o site da Autoridade Nacional da Proteção Civil.

A zona do convento da Peninha situa-se no perímetro do Parque Natural de Sintra-Cascais, numa área muito exposta aos ventos marítimos.

Mais partilhadas da semana

Subir