Economia

IKEA prescinde de 500 milhões de apoio do Estado português

A IKEA Portugal decidiu devolver 500 milhões de euros ao Estado português, valor que tinha sido concedido à multinacional sueca, para responder aos efeitos económicos da pandemia.

Segundo adianta hoje a agência Lusa, que cita fonte oficial da empresa, “o valor, incluindo apenas salários, é de 474 milhões de euros”, sendo que a este montante “acresce o referente à devolução da isenção de contribuições”, o que perfaz um total de 500 milhões de euros.

A IKEA Portugal está a trabalhar internamente e em parceria com a Segurança Social para que a devolução dos apoios estatais seja concluída o mais rapidamente possível.

Já que sabia que a multinacional do ramo mobiliário iria prescindir de todos os apoios concedidos pelos Estados de nove países, entre os quais Portugal.

Em virtude da pandemia – e em particular dos efeitos do confinamento e de outras restrições na atividade económica –, as empresas puderam usufruir de medidas de apoio dos governos, mas a IKEA optou por descartá-los.

A empresa sueca encetou, nesse sentido, diálogo com os executivos de Bélgica, Croácia, Espanha e EUA, Irlanda, Portugal, Roménia, República Checa e Sérvia.

A cadeia sueca estimou uma quebra de vendas na ordem dos 70 por cento, mas conseguiu recuperar parte dessas perdas com o desconfinamento e a normalização da atividade económica.

0Shares

Em destaque

Subir