Nacional

‘Guerra’ entre Marta Cardoso e transmontanos segue em tribunal

Uma expressão infeliz usada por Marta Cardoso no programa ‘Late Night Secret’ gerou indignação nos transmontanos. Alguns deles excederam-se nos comentários, nas redes sociais, o que levou a apresentadora a avançar com uma queixa em tribunal, segundo a TV7 Dias. Marta quer que “todas as pessoas que já sofreram (ou venham a sofrer) do mesmo tipo de insultos saibam que existe uma alternativa”.

A história teve início em meados de maio, no programa ‘Late Night Secret’, quando Marta Cardoso usou um estrangeirismo que não foi compreendido no estúdio.

Numa análise a um episódio da Casa dos Segredos, e dirigindo-se a Serginho, Marta referiu-se a Luan como “super legalize”.

A expressão suscitou um pedido de esclarecimento no estúdio e a resposta originou a polémica.

“Não percebem nada de estrangeirismos. Este pessoal que vem de Trás-os-Montes”.

Estava lançada a semente para uma onda de insultos, de transmontanos que ficaram indignados com a apresentadora da TVI.

Segundo avança a TV7 Dias, Marta colocou uma ação em tribunal contra 80 pessoas que a insultaram, nas redes sociais.

“Uma pessoa quando está exposta, como eu, já sabe que está sujeita a críticas (…). Agora, nesta circunstância, de forma massiva e sem justificação nenhuma, achei que era ultrapassar o limite. O meu objetivo é alertar as pessoas, quer aquelas que são visadas, quer aquelas que por alguma razão acham que isto é uma zona sem lei e que podem dizer tudo o que querem, que isto não é assim”, diz Marta Cardoso, àquela publicação.

“Não pretendo ganhar um único cêntimo com nada. Quero, de facto, é que as pessoas que o fizeram sejam penalizadas. E também que todas as pessoas que já sofreram (ou venham a sofrer) do mesmo tipo de insultos saibam que existe uma alternativa”.

Sobre a alusão a Trás-os-Montes, Marta salienta que não foi intenção sua insultar as pessoas daquela região, mas apenas dar um exemplo de alguém que “vem de longe”.

A apresentadora assume que “não foi a expressão mais feliz” e que “se fosse hoje não tinha escolhido”.

Por isso, deixa “um pedido de desculpa” aos transmontanos.

Não abdica, no entanto, de chamar à Justiça todos aqueles que a insultaram.

Mais partilhadas da semana

Subir