Mundo

Grécia: Troika quer alargar semana de trabalho para seis dias

grecia criseNa senda da flexibilização do mercado de trabalho, a troika sugeriu ao governo grego, entre outras medidas, o incremento da semana de trabalho de cinco para seis dias.

Segundo o Diário de Notícias, citando o diário económico grego Imerisia, esta informação foi transmitida, via correio eletrónico, aos ministérios gregos do Trabalho e das Finanças, tendo este último confirmado à Agência Efe a autenticidade do e-mail.

Dentre as sugestões dos representantes do BCE, CE e FMI, incluem-se o aumento dos dias de trabalho para seis; a redução para 11 horas do descanso mínimo entre turnos e a eliminação das restrições às permutas dos mesmos, de acordo com as necessidades da empresa.

Propõe-se, ainda, a redução para metade da indemnização por despedimento, bem como do prazo que a entidade patronal tem para comunicar a rescisão do contrato; e também uma menor contribuição das empresas para a Segurança Social – a qual, no entanto, tem cada vez menos receitas.

Em entrevista à agência Efe, uma fonte governamental assume que as propostas da “troika” não são novas, e realça que são apenas propostas, pelo que o Governo não é obrigado a aceitá-las.

A aprovação das novas medidas é considerada fundamental para a atribuição de uma nova verba de 31 mil milhões de euros, acordada no segundo memorando de entendimento, que o país assinou em fevereiro.

Em destaque

Subir