Economia

Governo quer “controlo na estratégia” da TAP e “não da gestão”, esclarece Costa

Desafiado por José Luís Ferreira a assumir o “controlo público da TAP”, o primeiro-ministro esclareceu que o Governo pretende ter “controlo na estratégia” da empresa, “não da gestão”.

O assunto abriu o debate quinzenal. José Luís Ferreira, líder parlamentar dos Verdes, acusou a TAP de desrespeitar o Norte e exortou o Governo a assumir “o controlo público” da transportadora para a colocar “ao serviço do país”.

Recorde-se que o Estado tem 50 por cento do capital da TAP, com 45 por cento nas mãos de um parceiro privado, que gere a empresa, e os restante cinco por cento na posse dos trabalhadores.

Na resposta, António Costa frisou que o Estado readquiriu parte da TAP para poder ter “controlo na estratégia, não da gestão”.

O primeiro-ministro revelou depois que o Governo está “em consultas prévias com a Direção-Geral da Concorrência da União Europeia”, no sentido de obter luz verde de Bruxelas para o apoio financeiro à TAP, cuja atividade foi fortemente condicionada pela pandemia.

0Shares

Em destaque

Subir