Europa

Governo português transmite disponibilidade para apoiar família de jovem morto em Londres

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas transmitiu hoje a disponibilidade de prestar apoio consular à família do jovem morto no sábado em Londres, que “tudo levará a crer” fosse português, embora sem confirmação oficial.

“O corpo está a aguardar pela realização de autópsia e o posto consular para já não foi contactado pela família. Contudo, transmitimos toda a disponibilidade para se, algum familiar requisitar ou solicitar esse apoio, nomeadamente para a trasladação do corpo, esse apoio será garantido”, disse José Luís Carneiro à Lusa.

O secretário de Estado explicou que por se tratar de um caso sob tutela judicial não há ainda dados definitivos, inclusivamente acerca da nacionalidade do jovem, “que tudo levará a crer que possa ser português”.

“Não temos ainda a confirmação oficial por parte das autoridades britânicas. Estamos a procurar, por via dos serviços consulares, obter melhores informações da parte das autoridades policiais e judiciárias, porque são quem tem os dados que ainda não possuímos”, afirmou.

A polícia londrina anunciou hoje a detenção de dois adolescentes suspeitos do esfaqueamento até à morte de Wilham Mendes, um jovem pugilista amador, na madrugada de sábado numa rua de Londres.

Em comunicado, a polícia afirma que, na segunda-feira, dois jovens de 15 anos foram detidos e acusados do homicídio e roubo de Mendes, de 25 anos, a residir em Tottenham desde 2015.

Os dois suspeitos vão ser presentes a tribunal na quarta-feira, no Tribunal de Westminster.

O comunicado precisa que a polícia foi chamada às 01:20 da madrugada de sábado por um esfaqueamento em Albert Place e encontrou Wilham com “múltiplas facadas”.

O jovem “foi transportado para um hospital do leste de Londres e declarado morto às 02:13”.

A família foi avisada pela polícia, segundo o comunicado.

Num artigo publicado na segunda-feira, o jornal The Guardian cita o comandante da polícia encarregado da investigação, Glen Lloyd, que diz que, apesar das detenções, a investigação continua.

“As primeiras informações recolhidas pela minha equipa estabeleceram a possibilidade de Wilham ter sido esfaqueado durante um assalto”, disse, apelando para que quaisquer testemunhas contactem a polícia.

“Por muito pequeno que seja um pormenor, por muito pouco que tenham visto, a vossa informação pode ser vital para a nossa investigação”, frisou.

“No centro da nossa investigação está a morte de um jovem inocente e promissor que foi brutalmente assassinado na rua”, acrescentou.

Mais partilhadas da semana

Subir