Economia

Governo pede reabertura condicionada de postos de correio nas juntas de freguesia

O Governo solicitou hoje a abertura de “forma condicionada” das juntas de freguesia onde se encontram instalados postos dos CTT, lembrando que os serviços postais são “verdadeiramente essenciais” e garantem a entrega das pensões.

Em comunicado, o Ministério das Infraestrutura e da Habitação adianta que enviou hoje uma carta à Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE) para que as juntas de freguesia onde se encontram instalados postos dos CTT possam abrir diariamente, “ainda que de forma condicionada”, entre as 09:00 e as 12:00.

O pedido, é referido, insere-se na necessidade de continuidade dos serviços essenciais, prevista no decreto que determinou o estado de emergência devido à pandemia de covid-19.

“Entre esses serviços verdadeiramente essenciais para a nossa população, encontram-se as comunicações, especificamente, os serviços postais que, nesta altura de crise, garantem a entrega ao domicílio das pensões de muitos dos nossos idosos”, lê-se na nota.

No comunicado, o Ministério das Infraestrutura lembra também que o Governo já articulou com os CTT a entrega ao domicílio dos vales de pensão pelo carteiro e o seu pagamento, de forma gratuita.

Esta medida deverá abranger cerca de 100 mil dos 370 mil pensionistas que recebem mensalmente os vales e que, assim, não terão de se deslocar até aos correios.

Os CTT também anunciaram hoje que vão antecipar a emissão e pagamento de vales em dois dias úteis e fasear a distribuição durante oito dias, como medidas de mitigação ao contágio de covid-19.

Os vales serão emitidos em 01 de abril e serão distribuídos até 09 de abril.

Neste período de pagamento de vales – entre 01 e 09 de abril –, os CTT vão ter 34 lojas com horários alargados, a funcionar entre as 09:00 e as 13:30 e das 14:30 até às 17:30. A lista de lojas com horário alargado pode ser consultada no ‘site’ dos Correios de Portugal.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 791 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 38 mil. Dos casos de infeção, pelo menos 163 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 160 mortes, mais 20 do que na véspera (+14,3%), e 7.443 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 1.035 em relação a segunda-feira (+16,1%).

Dos infetados, 627 estão internados, 188 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

0Shares

Em destaque

Subir