Ásia

Governo de Macau e operadoras de casino lançam mega festival de artes internacional

O Governo de Macau apresentou hoje com as operadoras de casinos um mega festival que vai durar mais de meio ano, orçado em 1,8 milhões de euros e que se quer afirmar como uma nova marca cultural internacional.

O Art Macau arranca a 06 de junho e assume-se como “um mega evento internacional (…), sem precedentes em Macau” e que vai durar “mais de seis meses”, afirmou o secretário para os Assuntos Sociais e Cultura na cerimónia de apresentação do programa.

A organização prometeu transformar os ‘resorts’ integrados, consulados (entre os quais o de Portugal) e alguns espaços públicos em ‘galerias’ de arte, juntando mostras de arte de artistas ocidentais e chineses.

Pouco antes do recente anúncio de que as atuais licenças de exploração de jogo serão atribuídas através da abertura de um concurso público, presumivelmente em 2021, o Governo de Macau lançou o desafio às concessionárias e subconcessionárias, até porque, disse hoje Alexis Tam aos jornalistas, “as operadoras têm a obrigação de fazer mais [pela diversificação da indústria]”, algo a que estão vinculadas contratualmente, sublinhou.

Resultado, acrescentou, as operadoras – Galaxy, Melco, MGM, Sociedade de Jogos de Macau, Sands e Wynn – “ficaram muito felizes” e aceitaram a proposta de suportarem financeiramente o evento, cada uma delas a atribuírem um valor na ordem dos três milhões de patacas (332 mil euros).

Um dos destaques da programação em julho é a 2.ª Exposição Anual de Artes entre a China e os Países de língua Portuguesa, para a qual foram convidados a expor artistas chineses, macaenses e portugueses em vários locais da cidade.

Para o evento foram também convidados curadores, artistas, especialistas e académicos para realizarem criações artísticas, palestras e workshops.

Segundo a organização, estão previstas “40 atividades de grande dimensão realizadas em 44 locais, por toda a cidade, através de uma plataforma multimédia e de arte, quebrando as limitações do conceito de espaço, formando um festival de artes e cultura (…) e apresentando ao mundo uma nova marca de turismo cultural.

Enytre elas, a organização destaca “a Estrutura de Bambu Temporária ‘Santuário’, projetada pelos arquitetos locais João Ó & Rita Machado, (…) atualmente em construção no Jardim da Fortaleza do Monte”.

Ao mesmo tempo, “inspiradas pelo famoso poeta e escritor português Fernando Pessoa, 22 obras [intituladas] de ‘Vagabundo’, coloridas em fibra de vidro e concebida pelo artista local Wong Ka Long, serão expostas nas Casas da Taipa”, acrescenta-se na informação sobre o programa.

Espetáculos de música, dança e teatro, por exemplo, integram igualmente o Art Macau, que integra ainda outros eventos já existentes no território.

“Arte Macau: Exposição Internacional de Arte”, a principal iniciativa do evento no Museu de Arte de Macau, reúne a partir de 06 de junho, quando arranca o Art Macau, “uma série de obras valiosas selecionadas de várias operadoras de estâncias turísticas integradas e empresas hoteleiras, incluindo obras de pintura, cerâmica, escultura e multimédia”.

Mais partilhadas da semana

Subir