Mundo

Governo brasileiro nega ter incentivado a invasão da embaixada da Venezuela

O Governo brasileiro informou hoje, em comunicado, que não tomou conhecimento nem incentivou a invasão da embaixada da Venezuela em Brasília, capital do país, ao início da manhã.

“Como sempre, há indivíduos inescrupulosos e levianos que querem tirar proveito dos acontecimentos para gerar desordem e instabilidade. O Presidente da República jamais tomou conhecimento e, muito menos, incentivou a invasão da embaixada da Venezuela, por partidários do Sr. Juan Guaidó”, diz a nota do Gabinete de Segurança Institucional.

O executivo brasileiro acrescentou que as forças de segurança do país estão a tomar providências para que “a situação se resolva pacificamente e retorne à normalidade”.

Ao início da manhã, um grupo de apoiantes de Juan Guaidó, chefe da Assembleia Nacional da Venezuela e autoproclamado Presidente daquele país, entrou na embaixada venezuelana em Brasília.

A advogada María Teresa Belandria Expósito, indicada por Juan Guaidó como embaixadora e reconhecida pelo Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, disse, em comunicado, que um grupo de funcionários da embaixada da Venezuela a contactou, hoje de manhã, e entregou a embaixada.

“Um grupo de funcionários da embaixada da Venezuela no Brasil entrou em contacto connosco para nos informar que reconhecem o Presidente Juan Guaidó. Eles começaram a abrir as portas e entregar voluntariamente a sede diplomática à representação legitimamente credenciada no Brasil”, informou a nota.

No entanto, a comunicação social brasileira relata que a entrada do grupo na embaixada aconteceu de madrugada e que a polícia militar foi chamada por funcionários que alegaram que os apoiantes de Guaidó forçaram a sua entrada no local.

O encarregado de negócios da Venezuela no Brasil, Freddy Meregote, também divulgou um vídeo negando que funcionários da embaixada tenham permitido a entrada do grupo.

O deputado (membro da câmara baixa) brasileiro Paulo Pimenta, do Partido dos Trabalhadores (PT), informou na rede social Twitter que esteve no local e que os funcionários da embaixada venezuelana teriam sido assediados por apoiantes do líder da assembleia venezuelana e pelo Governo brasileiro.

“Eu e o deputado Glauber Braga registámos a denúncia dos diplomatas venezuelanos na embaixada da Venezuela em Brasília, que foi invadida por milicianos contratados numa ação coordenada com o Governo brasileiro”, escreveu, numa mensagem no Twitter, que acompanha um vídeo de Freddy Meregote relatando a alegada invasão.

A Venezuela não tem oficialmente um embaixador no Brasil desde 2016, quando o chefe de Estado brasileiro reconheceu Juan Guaidó como Presidente da Venezuela e recebeu a carta credencial de María Teresa Belandria Expósito, nomeada embaixadora no Brasil por Guaidó.

O prédio da embaixada da Venezuela no Brasil, porém, continuou a ser administrado por pessoas nomeadas pelo Governo de Nicolás Maduro.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir