Mundo

Google doa um milhão de dólares à UNICEF para ajudar a combater o vírus Zika

A Google está a ajudar a UNICEF a construir uma plataforma para processar informação sobre o vírus, mapear a dispersão e os riscos de transmissão nas diferentes regiões do mundo. O gigante da Internet doou um milhão de dólares para ajudar a combater o Zika, no Brasil e em toda a América Latina.

Em três meses, as pesquisas no Google sobre este tema cresceram 3000 por cento, dado que sensibilizou os responsáveis e que levou a que fossem tomadas medidas de apoio ao combate ao vírus.

A recente epidemia do vírus Zika tem causado grande preocupação um pouco por todo o mundo. Desde novembro que assistimos a um aumento de 3000 por cento nas pesquisas efetuadas relativas a este tema. No mês passado, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou o vírus um caso de emergência de saúde pública de âmbito internacional. A possível relação entre o Zika, a microcefalia e outras malformações em recém-nascidos é particularmente alarmante”, realçou Jacquelline Fuller, responsável da Google.org.

Mas, ao contrário de outras pandemias globais, a propagação do Zika tem sido mais difícil de identificar, mapear e controlar. Acredita-se que quatro em cada cinco pessoas não mostram quaisquer sintomas e que as espécies dos mosquitos transmissores primários ‘Aedes’ estão ambas a espalhar-se e revelam desafios com vista à sua eliminação.

Isto significa que o combate ao vírus requer um grande conhecimento sobre como as pessoas se podem proteger, como também o apoio às organizações que as possam ajudar a desenvolver diagnósticos rápidos e a respetiva vacinação.

“Também é imperativo encontrar melhores formas de visualizar a ameaça para que as entidades oficiais de saúde pública e ONG possam apoiar comunidades em risco”, considera a Google.

“Enquanto empresa cuja missão é ajudar as pessoas a encontrar informação e com uma vasta experiência na análise de grandes quantidades de informação estamos numa excelente posição para ajudar – em termos de escala e velocidade. Atualmente, temos engenheiros a trabalhar de perto com a UNICEF para analisar informação e para determinar como mapear e antecipar o vírus. Também fizemos actualizações nos nossos produtos para tornar a informação sobre o Zika mais acessível e doámos um milhão de dólares à UNICEF para ajudar as suas equipas no terreno”, anuncia Jacquelline Fuller.

Uma equipa de engenheiros, cientistas de dados e designers voluntários da Google está a ajudar aquela organização a construir uma plataforma para processar dados de diferentes fontes (por exemplo, dados meteorológicos e padrões de viagens) de modo a visualizar possíveis surtos.

“O grande objetivo desta plataforma de código aberto é identificar o risco de transmissão do Zika nas diferentes regiões e ajudar a UNICEF, governos e ONG a decidirem como e onde concentrar o seu tempo e recursos. Este conjunto de ferramentas está a ser desenvolvido para responder ao Zika, mas também para ser aplicado em outras futuras emergências”, assinala.

Apoiar os esforços da UNICEF no combate ao vírus

A doação de um milhão de dólares representa para a UNICEF uma importante ferramenta para a consciencialização do problema, reduzir a população de mosquitos, apoiar o desenvolvimento de diagnósticos e de vacinação e trabalhar com as comunidades e os governos para prevenir a transmissão.

Com estes esforços, a organização espera chegar a 200 milhões de pessoas afetadas ou vulneráveis no Brasil e em toda a América Latina.

A Google também lançou uma campanha para os seus colaboradores, de forma a angariar mais 500 mil dólares para a UNICEF e para a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) de forma a apoiar os seus trabalhos no terreno.

Tornar a informação acerca do vírus Zika acessível a todos

A Google incluiu informação referente a mais de 900 condições ou problemas de saúde directamente na Pesquisa para a população residente nos EUA.

Também acrescentou mais informação alargada sobre o Zika em 16 idiomas, com explicação sobre o vírus, informação sobre os sintomas e alertas de saúde pública que podem ser atualizados sempre que novas informações estiverem disponíveis.

Por outro lado, os engenheiros estão a trabalhar com criadores conhecidos do YouTube na América Latina, através dos seus canais, para alertar a população para a prevenção do vírus Zika.

“Esperamos que todos estes esforços sejam úteis para combater esta nova emergência de saúde pública. Da parte da Google, iremos continuar a ajudar a combater este surto”, conclui.

0Shares

Em destaque

Subir