Desporto

Gomes da Silva critica Pinto da Costa, “o maior incendiário do futebol português”

Na ressaca da vitória do Benfica sobre o FC Porto, Rui Gomes da Silva critica o discurso pacifista de Pinto da Costa, falando em “hipocrisia” daquele que considera ser “o maior incendiário do futebol português”.

No seu espaço habitual de crónica no blogue ‘Nova Geração Benfica’, o antigo vice-presidente dos encarnados considera Pinto da Costa “o maior incendiário do futebol português”. Em causa, está o discurso pacifista do líder dos ‘dragões’ na inauguração da casa do FC Porto, em Albergaria-a-Velha.

“Ninguém tem coragem de a hipocrisia?”, atira Gomes da Silva.

Para o antigo vice-presidente das ‘águias’, o “Benfica ganhou e bem”, mesmo que “tudo tenha sido preparado para o contrário”.

“Apesar de tudo ter sido preparado – antes e durante o jogo – para ‘nos adormecer’! Durante, com a arbitragem! Antes, com frases como ‘O futebol não pode ser uma guerra’, dita pelo maior incendiário do futebol português”, escreveu.

“Aos ‘papagaios’ que se julgam espertos não se faz uma festa como se de um bicho inofensivo se tratasse, antes responde-se como se faz aos abutres que só querem a nossa morte”, prosseguiu.

Na crónica, Rui Gomes da Silva acusa Pinto da costa de falta de “ética” e sublinha que “as tentativas de moralização (…) não se ignoram”, mas que se “apontam como exemplo de falta de caráter e de puro maquiavelismo que temos de combater”.

“E – pergunto eu – haveria melhor maneira de nos darmos ao respeito respondendo de viva voz a quem diz tudo e o seu contrário porque sabe que ficará sem resposta? Claro que não! Mas para isso precisamos de não ter medo”, termina o antigo vice-presidente.

O Benfica, recorde-se, ascendeu à liderança da I Liga este domingo, depois de bater o FC Porto por 1-0, com um golo de Seferovic.

Mais partilhadas da semana

Subir