Desporto

Gomes da Silva arrasa “desespero e arrogância” de um Vieira “agarrado ao poder”

Rui Gomes da Silva voltou a exigir a Luís Filipe Vieira que se demita da presidência do Benfica, acusando-o de estar “agarrado ao poder” e de já só reagir por “desespero” e “prepotência”.

Em mais uma crónica para o blogue Nova Geração, o antigo braço-direito de Vieira voltou a assumir a liderança da oposição, até por ser público que vai avançar assim que houver eleições.

Comentando a Assembleia-Geral de sexta-feira, Gomes da Silva referiu-se a Luís Filipe Vieira como “um desses resistentes” à voragem dos acontecimentos.

“Agarrado ao poder”, restam a Vieira “os argumentos de, um dia, há muitos anos… ter salvo o Benfica”.

“A história reconhece sempre a obra, mas esquece sempre quem não sabe sair a tempo”, avisou Rui Gomes da Silva.

No seguimento do texto, o comentador insistiu que o presidente do Benfica tem de ficar envergonhado pelas frases que dirigiu a alguns sócios, como “vocês não merecem o clube que têm” e “ainda vão levar comigo muitos anos”.

“Frases que não só nos envergonham, como envergonham quem as proferiu. Pelo desespero, pela falta de respeito, pela arrogância, pelo irrealismo, pela prepotência”, reiterou.

“Se as coisas correm mal, não podemos criticar para não fragilizar o Benfica, mas… se as coisas correm bem, não devemos criticar porque ganhamos. Ou seja, nenhum momento é bom para discordar ou criticar”, argumentou ainda Gomes da Silva.

Assumindo ter “uma ideia diferente para o Benfica”, o ex-dirigente prometeu não deixar que o clube continue a ser “um entreposto de jogadores”, nem “subjugado a uma qualquer ‘parceria estratégica’ com um qualquer empresário”.

356Shares

Mais partilhadas da semana

Subir