Local

GNR processa mulher que chamou “corruptos” a militares no Facebook

O carro da Guarda Nacional Republicana mal estacionado na Fuseta, em Olhão, levou uma cidadã a usar o Facebook para censurar o caso. A mulher usou termos como “corruptos” e “corrupção” para descrever a atuação dos militares da GNR. E por isso tem agora um processo criminal.

A GNR vai processar criminalmente uma mulher que divulgou a história de um carro mal estacionado, na Fuseta, acusando os militares de estarem a “tomar o pequeno-almoço”.

Aquela autoridade já reagiu ao sucedido. “Foram recentemente colocadas imagens nas redes sociais que mostram uma viatura da Guarda Nacional Republicana (GNR) parqueada num local de estacionamento reservado a cargas e descargas, na zona da Fuseta (Algarve)”, pode ler-se na página oficial.

No perfil onde é contada a história, a mulher relata que foi multada momentos antes precisamente pela GNR, pela mesma infração: estacionamento em local reservado.

A GNR responde: “Os militares estavam de facto no interior da pastelaria, a tentar identificar o condutor de uma viatura pesada que parqueou num local reservado a pessoas portadoras de deficiência. Por identificarem essa situação, e não tendo um local disponível para o fazer, os militares da GNR parquearam a viatura de serviço na zona que é identificada na fotografia”.

Pode ler-se ainda que a GNR “não se revê na informação divulgada, pelo facto do seu conteúdo ser falso, atento o facto de os militares estarem na altura a zelar pela garantia do direito de outros cidadãos (portadores de deficiência) e não a tomar o pequeno-almoço como é referido”.

Desse modo, aquela autoridade vai avançar com uma queixa-crime. “Não poderemos de igual forma aceitar as acusações expressas na informação, sendo a mesma atentatória do bom nome dos militares envolvidos e da própria instituição. Por esse motivo vai o conteúdo da publicação ser comunicado à entidade competente para efeitos criminais”, refere a GNR.

5Shares

Mais partilhadas da semana

Subir