Motores

Glikenhaus mantém planos para LMH apesar de descida de potência

A Scuderia Cameron Glikenhaus não vai alterar os seus planos para competir no

Campeonato do Mundo de Resistência (WEC) com um protótipo Le Mans Hupercar (LMH).

O fabricante tencionou inicialmente dotar o seu SCG 007 com um motor Alfa Romeo twin turbo V6 – com 670 cv – mas foi forçado a trocá-lo quando a unidade de comando eletrónico subiu para 785 cv no ano passado.

A alteração das regras não fez a equipa recuar nos seus planos com a Pipo Moteurs

Isto levou a Glikenhaus a adotar um mais potente 3.8 litros twin turbo V8, capaz de debitar 870 cv. Só que a Comissão de Endurance da FIA anunciou recentemente que os níveis de potência dos LMH seriam baixados para 670 cv, colocando-os em linha com os LMDh, que deverão chegar aos vários campeonatos em todo o mundo em 2022.

Esta decisão fez a Scuderia Cameron que seria preferível ter utilizado o propulsor Alfa Romeo original, mas a opção foi por manter-se com o mais potente ‘pacote’ da Pipo Moteurs. “Isto foi muito perturbador para nós”, reconheceu Jim Glikenhaus.

O patrão da marca é mais contundente: “Atiramos o acordo com o Alfa Romeo para o lixo. Isso custou-nos tempo e dinheiro, mas reagrupamos com a Pipo Moteurs e estamos dentro dos objetivos. Depois o desejo de convergência tornou-se forte entre o ACO (organizador do WEC) e a IMSA, que tiveram de arranjar uma forma em que todas as partes ficassem satisfeitas”.

O patrão da Glikenhaus só lamenta o tempo e o dinheiro gasto no projeto inicial

“A IMSA surgiu com uma larga gama de regras e basicamente precisava que estivéssemos de acordo para reduzir a potência global e o peso geral dos carros. Gastamos muito dinheiro no Alfa Romeo e gastamos muito dinheiro desenvolvendo o motor (Pipo Moteurs) para conseguir 870 cv em 30 horas”, enfatiza Jim Glikenhaus.

O patrão da SGC diz que a equipa não necessita de um motor sofisticado, mas no que se refere ao da equipa vai ser a mesma coisa. “Nada diferente do que vamos fazer. Não há uma grande mudança. E o peso nunca foi um problema, porque o nosso carro tem 900 kg, por isso não interessa”.

0Shares

Em destaque

Subir