Nas Redes

Gémeos nascem quatro meses após a morte da mãe

Frankielen Zampoli morreu quando estava grávida de dois meses. A mãe ficou ligada às máquinas e os gémeos foram crescendo até nascerem por cesariana, ao sexto mês de gestação. Os bebés já têm ano e meio de idade.

A história emocionou o Brasil há ano e meio. Frankielen da Silva Zampoli, morta há 123 dias, dava à luz (por cesariana) dois gémeos com 27 semanas de gestação.

A mulher, que tinha 21 anos, estava em morte cerebral na sequência de um acidente vascular cerebral, mas foi mantida ligada às máquinas desde o segundo mês de gravidez.

“A barriga cresceu”, contou a mãe de Frankielen Zampoli, ao portal UOL.

“Eu passava a mão e sentia os gémeos a mexer. Era mágico vê-los a desenvolver-se tão bem”, reforçou Ângela Silva.

Mesmo morta, Frankielen ia ganhando peso e ficando “com a pele corada”. Só que, à 27.ª semana de gestação, colapsou.

Os médios realizaram uma cesariana de emergência, retirando os gémeos Asaph e Anna Vitória.

Durante dois meses, os prematuros ‘viveram’ nos cuidados intensivos do Hospital Nossa Senhora do Rocio, em Curitiba.

“Quando eu tocava na barriga e via o corpo a mexer, eu sentia que eles estavam a lutar pela vida. Hoje, quando olho para eles, recordo tudo o que passei e todos os dias agradeço”, afirmou o pai de Asaph e Anna Vitória, Muriel Padilha.

Para a avó, os gémeos não substituíram a filha, mas atenuaram – e muito – a dor.

“É como se ela continuasse connosco. Eles preenchem o vazio, quando fecho os olhos imagino-os a correr pela casa e a brincar. Se Deus fez um milagre não ia ficar pela metade”, sustentou Ângela Silva.

Veja a reportagem feita por um canal brasileiro no primeiro aniversário dos gémeos.


Mais partilhadas da semana

Subir