Desporto

G15 pede reunião com Pedro Proença para esclarecer reintegração do Gil Vicente

O G15, grupo dos clubes da I Liga de futebol com exceção dos três ‘grandes’, solicitou hoje uma reunião com caráter de emergência com o presidente da Liga da Clubes, Pedro Proença, na segunda-feira, pelas 10:30.

Em causa está a reintegração do Gil Vicente na I Liga na temporada 2019/20, já hoje exigida em comunicado pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Os clubes que constituem o G15 estiveram reunidos num hotel em Vila Nova de Gaia para debater o processo de reintegração do Gil Vicente, tendo decidido avançar para o pedido de reunião com o presidente da Liga de Cubes.

O presidente do Marítimo, Carlos Pereira, foi novamente o porta-voz do grupo no final da reunião, revelando que os clubes pretendem que seja esclarecida a situação do clube de Barcelos.

Segundo o dirigente, o G15 quer perceber melhor o “memorando, o acordo e a norma em vigor” que sustentam a decisão de devolver o Gil Vicente à I Liga de futebol, em 2019/2010.

Estiveram na reunião representantes de Marítimo, Braga, Boavista, Paços de Ferreira, Vitória de Setúbal, Rio Ave, Moreirense, Chaves, Tondela, Belenenses, Vitória Guimarães e Aves.

O Santa Clara e o Portimonense foram representados pelo Marítimo, enquanto o Nacional e o Estoril Praia faltaram.

Despromovido à II Liga na época 2006/07, por alegada irregularidade na utilização de Mateus, avançado atualmente no Boavista, o Gil Vicente viu a LPFP anunciar a sua reintegração na I Liga em 12 de dezembro de 2017, na sequência de uma decisão do Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa, em 2016.

Esta instância de recurso declarou nula a decisão de descida do Gil Vicente tomada pelo Conselho de Justiça da FPF, em agosto de 2006.

Na sequência disso, a LPFP aprovou, após recomendação da FPF, a reintegração do emblema de Barcelos no principal escalão na época 2019/20, determinando que, na presente temporada, fossem despromovidos três clubes e promovidos dois da II Liga.

Atualmente, o Gil Vicente disputa a Série A do Campeonato de Portugal – terceiro escalão –, sem que os seus jogos contem para a classificação, por determinação federativa.

Recentemente vários clubes do principal escalão admitiram recorrer à justiça para impugnar o campeonato, alegando que a decisão judicial de 2016 não obriga à reintegração do clube de Barcelos.

Mais partilhadas da semana

Subir