Mundo

Funcionários da FIAT em greve devido à contratação de Ronaldo

Os funcionários da FIAT vão avançar para um período de paragem laboral em forma de protesto pela contratação milionária de Cristiano Ronaldo. A marca automóvel patrocina a Juventus e os funcionários estão descontentes com esta aquisição de milhões.

“Com tanta desigualdade, a única resposta possível é a greve. É inaceitável como quem nos pede tantos sacrifícios económicos durante anos, decide gastar tantos milhões num jogador”, revela o sindicato dos trabalhadores, em comunicado.

Os funcionários da FIAT lamentam que a empresa da família Agnelli, que é proprietária da FIAT e do clube de futebol Juventus, lhes passe a mensagem de que “o momento é difícil e depois investem assim num jogador”.

O sindicato dos funcionários da empresa automóvel USB (União Sindical de Base) lamenta ainda que “empregados pelo mesmo dono” sintam esta “desigualdade”.

“Acham justo?”, questiona o sindicato, explicando que “os trabalhadores da FIAT enriqueceram os patrões, e são recompensados com miséria.”

O protesto laboral está agendado entre os dias 15 e 17 de julho.

Os trabalhadores da fábrica de Melfi, onde estão os funcionários da FIAT, há muito tempo que vêm protestando contra a falta de condições laborais e os ritmos de trabalho exagerados.

Cristiano Ronaldo foi confirmado como reforço da Juventus, nesta terça-feira, numa transferência de 112 milhões de euros.

O português já apareceu a fazer um brinde com os donos da Juve.

A notícia faz capa na generalidade da imprensa mundial, nesta quarta-feira.

Mais partilhadas da semana

Subir