Nas Notícias

Fukushima: Um robô entra na central nuclear para ver o estado do reator 1 (vídeo)

robo de fukushima Pela primeira vez, os técnicos vão poder ver o estado do reator 1, onde ocorreu o desastre nuclear de Fukushima, em 2011. Mas ninguém vai pôr o pé na central: será um robô telecomandado a explorar o reator e a medir quanto combustível tem de ser retirado.

A realidade está a juntar todos os ingredientes para a fértil imaginação japonesa: um robô vai entrar numa central nuclear ‘mergulhada’ em radioatividade. Afinal, o que pode correr mal?

De acordo com um comunicado da Tokyo Electric Power (Tepco), a operadora da antiga central nuclear de Fukushima, um robô telecomandado vai explorar o reator 1, que explodiu em 2011 quando foi atingido por um sismo e um tsunami.

Será a primeira vez que os técnicos da Tepco poderão avaliar o estado da central de Fukushima e, sobretudo, quanto combustível (óxido de urânio fundido) ainda existe no reator 1.

Os níveis de radiação continuam demasiado elevados, pelo que a aproximação não é possível. A solução passa por um robô, comandado a distância, capaz de chegar ao topo dos tanques de combustível e medir a temperatura e os níveis de radiação.

Como se este trabalho não bastasse, o robô terá ainda de recolher imagens do reator 1.

A técnica tem sido utilizada, nos últimos meses, para analisar o estado dos restantes reatores da central de Fukushima, que continua a verter água contaminada para o oceano.

Em destaque

Subir