Desporto

Francisco J. Marques responde ao Benfica no caso do dérbi da Invicta

Francisco J. Marques respondeu ao Benfica, que falou em “golpada da vergonha”, num comentário ao eventual adiamento do jogo FC Porto-Boavista. 

O diretor de Comunicação do clube da Invicta reorreu às redes sociais para responder ao clube da Luz, que na sua newsletter diária falara em “episódio demonstrativo da aviltante promiscuidade entre política e futebol”, numa alusão ao caso do adiamento (não confirmado) do dérbi da cidade do Porto.

“Já toda a gente percebeu que tanto FC Porto como Boavista querem jogar no dia 23. Também já toda a gente percebeu quem atira lama para cima de uma competição que procura adulterar. Em Portugal só há um clube que não pode usar a palavra promiscuidade. Guess who?”, reagiu Francisco J. Marques.

Recorde-se que os autarcas Rui Moreira e Eduardo Vítor Rodrigues, presidentes das câmaras de Porto e Vila Nova de Gaia, respetivamente, pretendiam que o jogo marcado para 23 de junho fosse adiado, em virtude dos festejos do São João.

O clube da Luz criticara estas ingerências de Rui Moreira e Eduardo Vítor Rodrigues, autarcas que pertencem aos órgãos sociais do FC Porto.

Na sua newsletter oficial, o Benfica considerou que este é um “episódio demonstrativo da aviltante promiscuidade entre política e futebol com o objetivo de preparar uma golpada”.

Francisco J. Marques garante que quer os dragões, quer os axadrezados pretendem jogar no dia 23.

E essa será mesmo a data do encontro.

0Shares

Em destaque

Subir