Mundo

Francisco Assis denuncia situação de refugiados e imigrantes venezuelanos no Brasil

A situação dos refugiados venezuelanos que estão no Brasil é “grave”, avaliou hoje o eurodeputado Francisco Assis durante uma visita oficial ao estado brasileiro de Roraima.

“Os resultados desta visita, que irá terminar em Brasília, foi a certeza de que de facto o problema existe e é um problema grave”, afirmou Francisco Assis à Lusa.

“O problema pode tornar-se mais grave, mas o Brasil compreendeu a dimensão do problema e está a responder de forma muita articulada com as Nações Unidas […] Espero que possa haver uma evolução da situação”, acrescentou.

O eurodeputado frisou que os venezuelanos que atravessaram a fronteira brasileira para fugirem da crise económica e social no seu país não representam um desafio humanitário tão grave do ponto de vista numérico, mas a situação preocupa porque “a Venezuela faz fronteira com um dos estados mais pobres do Brasil, que é Roraima”.

Segundo Francisco Assis, esta condição particular faz com que ajuda aos imigrantes seja mais limitada.

Em dois anos, o número de pedidos de refúgio no Brasil de cidadãos oriundos da Venezuela cresceu 922 por cento.

Segundo informações divulgadas pelo Governo de Boa Vista, capital de Roraima, pelo menos 40 mil venezuelanos atravessaram a fronteira para viver no Brasil nos últimos dois anos.

Francisco Assis mencionou que União Europeia já tomou uma decisão e vai ajudar estes imigrantes e refugiados.

“Já foi tomada uma decisão e será enviado muito em breve uma verba de 2,5 milhões de euros para ajudar as operações [de ajuda humanitária] no Brasil. É uma verba total de 5 milhões de euros que será enviada metade aqui para o Brasil e metade para a Colômbia”, explicou.

Ele disse ainda que a União Europeia também trabalha em outras frentes, citando como exemplo inciativas de trocas de experiências.

“Nos próximos dias uma delegação de autoridades brasileira irá à Europa. Haverá uma viagem até a Alemanha e a Itália para tomarem contacto com experiências que foram tomadas no âmbito europeu em relação a questões de refugados e imigrantes”, explicou.

Além de visitar abrigos, Francisco Assis e outros eurodeputados reuniram-se com várias organizações presentes em Boa Vista, capital de Roraima, como a Cruz Vermelha, o ACNUR e os representantes da Operação Acolhida, montada pelo Ministério da Defesa brasileiro e que dá apoio aos migrantes oriundos da Venezuela.

A delegação chefiada por Assis, cuja missão termina em 29 de junho, segue depois para Brasília onde irá reunir-se, entre outros, com representantes do referido comité federal, com o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, e com o chefe da Casa Civil da Presidência da República, Eliseu Padilha.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir