Cultura

Forte cabo-verdiano com duzentos anos vai ser transformado em museu

O Forte Duque de Bragança, construído há 200 anos no ilhéu de Sal Rei, na ilha cabo-verdiana da Boa Vista, vai ser transformado em museu, segundo uma autorização governamental a que a Lusa teve hoje acesso.

O forte, construído durante o período colonial português, em 1820, no ilhéu na baía do porto da vila de Sal Rei, tinha a função de defesa daquele ancoradouro contra os então frequentes ataques de piratas e corsários à ilha da Boa Vista.

Em despacho publicado hoje pelo Ministério da Economia Marítima é autorizado o Instituto do Património Cultural (IPC) de Cabo Verde a “iniciar obras de reabilitação e conservação” naquele forte.

Em concreto, o pedido do IPC para a intervenção consiste em trabalhos ao nível da “consolidação dos muros do forte, limpeza dos arredores, reabilitação dos canhões e construção de um passadiço de madeiro”.

“Finalizando esses trabalhos de reabilitação, o IPC irá proceder à musealização do forte com painéis informativos e sinaléticas”, lê-se no despacho do Ministério da Economia Marítima, que sublinha o “impacto positivo” deste projeto.

No período da sua edificação, a ilha da Boa Vista exportava sal, algodão, gado e cal, entre outros produtos, tendo sido várias vezes saqueada por piratas entre os anos de 1815 a 1817, antes da construção daquele forte, que atualmente está em ruínas.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir