Motociclismo

FMP celebra 30 anos

A Federação de Motociclismo de Portugal (FMP) celebra hoje o seu 30º aniversário, afirmando-se como o ‘pilar’ da modalidade no nosso país.

Foi a 11 de maio de 1990 que se realizou a escritura pública que marcou o ‘nascimento’ da FMP, então denominada Federação Nacional de Motociclismo (FNM).

Um ato realizado no cartório notarial de Algés por Jorge Viegas, a representar o organismo, e Duarte Forjaz, a representar o Moto Clube de Sintra. E nesse mesmo ano, a 1 de novembro, a FMP tornava-se a representante de Portugal na Federação Internacional de Motociclismo (FIM), sendo depois membro fundador da Confederação do Desporto de Portugal, membro do Comité Olímpico de Portugal, e membro fundador da FIM Europa de Associação Mediterrânica de Motociclismo.

A FMP afirmou-se desde sempre barómetro da popularidade da modalidade, como prova o crescente número de atletas federados, que em 1990 era de 290 e que no ano passado atingiu as 1372 licenças desportivas para pilotos, às quais se juntaram mais 295 licenças para fiscais, oficiais e equipas, elevando o número total para 1667.

Nas três décadas da sua existência, a Federação de Motociclismo de Portugal viu serem realizadas mais de 2700 provas sob a sua égide em solo nacional, sendo que as provas internacionais foram 225 desde 1991, entre elas provas a contar para campeonatos da Europa ou do mundo.

De referir que desde 2008 – quando se realizaram 12 provas – Portugal tornou-se um país de acolhimento preferencial para diversos campeonatos, sendo que depois da crise económica entre 2011 e 2016, voltaram a crescer o número de eventos, até às recordistas 15 prova internacionais realizadas no nosso país no ano passado.

Também ao nível de clubes federados o número cresceu ao longo dos 30 anos da FMP, sendo 2004 o ano recordista, quando estavam representadas 217 agremiação, notando-se uma estabilidade a este nível desde 2012, sendo o número atual de 141.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir